Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Bom exemplo no andebol

28 de Dezembro, 2015
A Selecção Nacional sénior masculina, começa hoje a projectar a participação no Campeonato Africano, que o Egipto alberga no próximo mês.Passado o clima de incerteza, quanto à participação ou não do "sete" nacional na prova devido a problemas financeiros, o clima em torno da selecção está mais desanuviado, ainda que a preparação não seja a desejada.

A equipa nacional parte para a preparação, com dias de atraso, o que na prática significa que muita coisa teve de ser alterada em termos de programação. A Federação Angola de Andebol conseguiu o mínimo, para que os trabalhos pudessem arrancar hoje, mas em termos de objectivos deixou ao critério de jogadores e treinadores, que de mangas arregaçadas estão todos empenhados em representar de forma condigna as cores do país.

Um dado interessante, é o facto da maioria dos jogadores convocados, mesmo com o clima de indefinição que prevalecia, terem optado por treinar individualmente na componente física, o que não deixa de ser um bom indicador para o corpo técnico.A Selecção Nacional vai beneficiar de um mini -estágio no palco da competição, com alguns jogos já assegurados e isso vai proporcionar ao conjunto uma outra estrutura competitiva, porquanto o treinador pode tirar as ilações do verdadeiro apuro da forma dos jogadores que foram chamados, para esta missão no Cairo.

O facto de Angola já ter estado num campeonato do Mundo, deu ao andebol angolano uma outra visibilidade e os jogadores e treinadores sabem que isso, acarreta outro tipo de responsabilidades.O andebol angolano, neste momento, ainda não tem condições para ombrear com os grandes papões do continente, tais como o Egipto, a Tunísia e a Argélia, países que por norma representam a África nos Mundiais e Jogos Olímpicos, mas pode bem fazer agradáveis surpresas.

Em função do atraso verificado e dos problemas vividos pelo conjunto nacional para começar a preparação, o órgão reitor do andebol deu a possibilidade de treinadores e jogadores definirem os objectivos para este Campeonato Africano, e é bom constatar que todos eles estão na mesma sintonia e apontam o pódio, como principal meta da selecção nacional.De resto, o conjunto procura força para chegar longe nas adversidades vividas e atingir o pódio, pode na verdade ser o melhor prémio, por continuarem a acreditar que podem concretizar os objectivos traçados, mesmo com as dificuldades vividas.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »