Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Bnus para o CAN

15 de Junho, 2019
A sensivelmente seis dias do arranque da 32ª edição do Campeonato Africano das Nações (CAN), que treze anos depois regressa as terras das majestosas e seculares pirâmides egípcias, parece imperar já a boa disposição no seio da Selecção Nacional. É verdade. E tudo vem a propósito da garantia dos prémios de jogos e subsídios diários, que serão atribuídos aos integrantes dos Palancas Negras.
Fala-se mesmo de um bónus, que pode atingir os 40 mil dólares para cada um dos atletas da Selecção Nacional, às ordens do sérvio Srdjan Vasiljevic, em caso de conquista da prova, que acontece no Egipto de 21 deste mês a 19 de Julho próximo.
Segundo o que apurou o nosso jornal, há garantias de um prémio para cada atleta de 10 mil dólares, caso os Palancas se qualifiquem para os oitavos-de-final, já que com o novo formato que a prova ganhou, com o aumento de dezasseis para 24 equipas, logo a seguir a primeira sucede-lhe a referida etapa. Já pelo apuramento aos quartos-de-final, o bónus será de 15 mil dólares, ao passo que para as meias-finais será acrescido de mais 5 mil.
Para já, não deixa ser relevante o facto desses valores virem a público, uma situação que não é muito comum a nível do desporto do nosso país, assim como em outras esferas da vida social, quando o assunto incide em questões de finanças. Não é coisa de “outro mundo”, os angolanos, particularmente os amantes do desporto e do futebol, saberem o que cada um dos jogadores da Selecção Nacional, membros da equipa técnica e outros integrantes da mesma, poderão embolsar como prémio por cada uma das etapas por que passarem na grande montra do futebol.
É muito comum questões dessa natureza, virem a público em provas ligadas ao futebol e o desporto, de uma forma geral, de outras latitudes como Europa, América e Ásia, só para citar como exemplo. Então, não há razões para os dirigentes do mosaico desportivo angolanos, se resguardarem em questões dessa índole. Deve haver uma maior abertura e transparência em processos dessa natureza. Isso deve ficar bem claro.
Agora também não deixa de relevante, o facto de que esta garantia vem mesmo a calhar, depois de alguma tempestade que gerava em torno da campanha nesta grande montra de futebol, que o Egipto vai albergar, em que se chegou a colocar em xeque a eventual participação de Angola.
Não deixa de ser também bem vinda, a informação relativa ao segundo jogo amistoso dos Palancas Negras, depois do que efectuaram e venceram, na região portuguesa de Penafiel, a Guiné-Bissau. O jogo com a África do Sul, já em solo egípcio, será fundamental, para aquilatar as reais performances de Angola, que terá como adversários, no Grupo E do CAN, o Mali, a Mauritânia e a Tunísia, com quem se estreia dia 24 deste mês em Suez. A ver vamos!!!...

Últimas Opinies

  • 21 de Setembro, 2019

    Craques que buscam afirmao alm-fronteiras

    É por demais sabido, que a história do futebol angolano regista o nome de ex-jogadores, que ajudaram a elevar o nome do país além-fronteiras.

    Ler mais »

  • 21 de Setembro, 2019

    Talentos angolanos ofuscados na dispora (?)

    Hoje, neste espaço assinado “A duas mãos”, concordamos escrever sobre um assunto de suma importância e que merece a nossa atenção, até porque, sem desprimor para outros, as questões sobre os futebolistas angolanos que actuam na diáspora, com particular destaque para os novos talentos que têm, nos últimos tempos, preenchido largos espaços na média desportiva e não só.

    Ler mais »

  • 21 de Setembro, 2019

    Cartas dos Leitores

    Os adversários são bons, os grupos são fortes e têm boas selecções.

    Ler mais »

  • 21 de Setembro, 2019

    Crise petrolfera

    Há maus ventos no Petro Atlético de Luanda

    Ler mais »

  • 19 de Setembro, 2019

    Futebol nacional deve ser revolucionado? (II)

    A semana precedente fechei o texto com o seguinte argumento: “A meu ver, já não se pode gastar dinheiro em vão com o futebol.

    Ler mais »

Ver todas »