Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Calendrio do Libolo

18 de Julho, 2017
A presente época futebolística está ser intensa para o Recreativo do Libolo. A equipa quase não tem pausa competitiva. A par do campeonato nacional de futebol da primeira divisão, também disputa a Taça da Confederação, e não tarda a Taça de Angola. Porém, a vasta maturidade permite gerir a situação, e acaba por ser bem sucedido em ambas as competições.

Na competição africana, por exemplo, logrou a qualificação para os quartos -de -final, embora, em curso estejam desenvolvimentos que ameaçam inverter o quadro das coisas. No Girabola Zap não vai mal, leva um ligeiro atraso dado o volume de jogos adiados, que resultam do seu duplo compromisso competitivo.

Chegadas as coisas até onde chegaram, parece estar na hora de voltar as atenções para a prova doméstica. A crer nas palavras do técnico Vaz Pinto, é chegada a hora de arregaçar as mangas para investir no Girabola Zap e recuperar o terreno perdido. E, a saga começa já depois de amanhã com o Interclube, em acerto à 20º jornada.

Portanto, a equipa do Cuanza- Sul entra para a realização de jogos em atraso, de lápis na mão, ou seja, com as matemáticas bem orientadas. Sabe quantos pontos precisa de somar para encostar-se ao líder (em segundo lugar), e quanto precisa para pelo menos ficar entre os primeiro quatro classificados. Esta, é a vantagem que proporciona, a condição de jogar atrasado.

Com quatro jogos por realizar e a 14 pontos do 1º de Agosto, caso tenha o arcaboiço que permita um aproveitamento a 100 por cento, chega aos 42 pontos, menos dois em relação à turma do \"Rio Seco\". Logo, o Libolo ainda está em condições de lutar por aquilo que sempre representou o seu objectivo fundamental: o título.

Todavia, caso falhe e não tenha safra positiva, compromete a situação, mais a mais porque pelo curso das coisas. A presente edição envolve uma disputa acérrima, em que para além do campeão em título, para quem o objectivo é a revalidação, estão outras equipas, como Petro de Luanda, Kabuscorp do Palanca e Sagrada Esperança, que já deram mostras de ambição.

Para o Recreativo do Libolo o momento é realmente de recuperar o terreno perdido. \"O que nós temos a fazer é diminuir a distância, pensando jogo a jogo, de modo a que possamos também ter uma satisfação com o desempenho da equipa nessa competição de formas a fazermos boas contas no final.\" Assim, imbuído de espírito ganhador, augura o treinador Vaz Pinto.

Aguardemos que a equipa entre na sequência da disputa dos jogos em atraso, com sucesso, é importante ter na prova mais formações competitivas, sendo afinal esta particularidade que acaba por dar graça e interesse ao próprio certame que sai a ganhar em termos de qualidade competitiva.

Últimas Opinies

  • 23 de Março, 2019

    Agora que venha o CAN do Egipto!

    Que venha agora o CAN do Egipto! Sim, que  venha o Campeonato Africano das Nações porque a fase de qualificação ficou já para atrás. 

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Cartas dos Leitores

    Estou aqui para trabalhar. É uma realidade nova para mim. Nunca estive em África.

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Angola est no Egipto

    O país acordou, hoje, na ressaca da explosão festiva resultante da qualificação da selecção nacional de futebol, ao Campeonato Africano das Nações, a disputar-se em Junho e Julho, no Egipto.

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Amanh um "tudo ou nada

    Amanhã é uma espécie de Dia D, para nós, e tal fica a dever-se aos ‘’Palancas Negras’’

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Um regresso depois de quase dez anos

    Volvidos quase dez anos, volto a assumir uma missão como enviado especial do Jornal dos Desportos, título para o qual escrevo desde o ano de 1997, e que nesse momento assumo o cargo de editor, depois de já ter sido sub-editor e correspondente provincial.

    Ler mais »

Ver todas »