Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

CAN/2015 em risco

25 de Outubro, 2014
A Confederação Africana de Futebol procura países interessados em receber a prova. Aliás, a aposta na realização do CAN é certamente discutível, sobretudo, devido aos aspectos económicos. Afinal, um adiamento trás graves prejuízos à CAF.

O pedido formulado pelo governo de Marrocos, quer queiram quer não, tem a sua lógica. Basta ver que o pedido de adiamento da prova foi apoiado por clubes europeus, logicamente interessados em salvaguardar o interesse dos seus atletas.

Embora nenhum caso da doença tenha sido registado até agora em Marrocos, é evidente que o fluxo de pessoas dentro do continente africano pode aumentar a contaminação da epidemia durante a competição.

O órgão reitor desdobra-se em contactos com os seus filiados, na tentativa de encontrar interessados em acolher a prova. Contudo, há um senão: o reduzido tempo que pode vir a ter esse país para a organização do evento. É aí, que reside a grande questão, porque, por muito e boas condições de que disponha, não é qualquer país que aceita receber uma prova com a grandeza de um CAN.

Um dos países convidados pela CAF para receber o evento, o Gana, está indeciso. O seu presidente, John Mahama, declarou durante uma visita a Londres que o seu Governo vai avaliar todas as opções, antes de decidir sobre o acolhimento ou não do torneio.

“Colocaremos acima de tudo o interesse superior dos ganenses. Enquanto Presidente da República, não quero que a epidemia do ébola se propague no meu país e se Marrocos exprimiu inquietação relativa à epidemia, vamos estudar atentamente, antes de tomar uma decisão”, disse o Presidente Mahama, que adiantou ainda, que o seu país mantém a candidatura para a organização da edição de 2017.

Quem também não aceitou o convite da CAF para albergar a prova, foi a África do Sul. O ministro sul-africano do Desporto foi peremptório em afirmar, que o seu país não está disponível para organizar o CAN2015.

“Digo-vos, categoricamente, que não vamos acolher a competição”, afirmou o ministro Fikile Mbalula e acrescentou, que o país não tem condições económicas para acolher a prova.

Perante esse quadro, que consideramos dramático para os interesses económicos da CAF, o impasse de quem vai organizar o CAN/2015, vai durar muito mais tempo. Enquanto isso, nas quatro linhas a luta é árdua. E os Palancas Negras estão nessa luta.

Últimas Opinies

  • 18 de Março, 2019

    Cartas dos Leitores

    Temos de nos preparar bem para o jogo que será decisivo e estou convicto que iremos fazer este trabalho em conjunto, não temos muito tempo, agurada-nos um trabalho sério contra uma selecção que perdeu todas as partidas.

    Ler mais »

  • 18 de Março, 2019

    L se foi o sonho...

    O Petro de Luanda, até ontem o único sobrevivente angolano nas Afrotaças, não conseguiu evitar a derrota frente ao Gor Mahia FC do Quénia, em Nairobi, num jogo em que estava “condenado” a não desperdiçar, na totalidade, os pontos em discussão.

    Ler mais »

  • 18 de Março, 2019

    Os estreantes e o ritual de integrao

    Igor Vetokele regressa aos Palancas Negras, depois de muito tempo.

    Ler mais »

  • 16 de Março, 2019

    Cartas dos Leitores

    Eu já vi três vezes o jogo, muito sinceramente deu para ver alguma coisa na atitude e reacção de certos jogadores.

    Ler mais »

  • 16 de Março, 2019

    Operao Botswana

    A Selecção Nacional de futebol em honras concentra-se amanhã, a noite, tendo em vista a derradeira jornada do Grupo I da campanha para o Campeonato Africanos das Nações deste ano, a decorrer entre 21 de Junho e 19 de Julho no Egipto.

    Ler mais »

Ver todas »