Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Candidatos do Girabola

03 de Março, 2018
Com a estreia, na passada quarta-feira do 1º de Agosto no campeonato nacional de futebol da primeira divisão, devemos dar por completa a intervenção de equipas participantes na maior competição futebolística nacional. Em outra linguagem dir-se-ia que todas já molharam a sopa. O resto agora é ver como poderão se portar no prosseguimento do torneio.
O campeão nacional foi o último a entrar em competição em função de um conjunto de factores, sendo o fundamental o que está relacionado com o seu envolvimento nas competições africanas, pese embora em igual condição se encontrar igualmente o seu \"arqui-rival\" do \"Eixo-Viario\", que por sinal lidera a classificação geral.
Na verdade, notou-se no arranque da prova um clima de permissividade das equipas, com excepção do Interclube. Pois, com militares e petrolíferos comprometidos com as Afrotaças, esperava-se que fossem as que entraram primeiro em cena, a assumir o comando do torneio. Mas, reservou-se mesmo a liderança para uma destas duas, de tal sorte que o líder hoje é o Petro.
Portanto, ficou, logo à partida, a sensação de como serão as coisas neste campeonato, que há-de ser disputado à velocidade de cruzeiro. Mais uma vez o cenário poderá ser o mesmo das últimas duas edições. Petro e 1º de Agosto podem vir a ditar as regras do certame, sob o olhar impávido dos outros intervenientes. É certo que surpresas não podem ser descuradas.
Aliás, o Interclube começou bem a prova, sendo talvez a única equipa fora do duo Petro de Luanda e 1º de Agosto a quem se deve depositar algum crédito. Claro está que Recreativo do Libolo e Kabuscorp do Palanca vão dando por sua vez também mostras de alguma vitalidade competitiva. Resta, porém, saber até onde vai a sua resistência.
Contrariamente ao que tem vindo a ser costume, nas épocas anteriores, desta vez as equipas condicionadas financeiramente, não fizeram investimentos por aí além. Não se reforçaram à medida das suas ambições, e isto deixa-lhes de certo modo limitadas nas suas acções. Mas esta situação é quase geral, não se coloca apenas a equipas de menor gabarito, mesmo os \"colossos\" também não fizeram grandes aquisições. Mas a questão de fundo aqui está relacionada àquilo que se espera venha a ser luta pela conquista do título. O selecto grupo está identificado, tendo como cabeças de lista Petro e 1º de Agosto. Interclube, Recreativo do Libolo e Kabuscorp são os outros que, por razões óbvias, integram a lista. Mas a forma fácil como os primeiros se desdobram no terreno competitivo dá-lhes logo primazia â partida.
Acompanhemos a evolução do campeonato, e logo-logo saber-se-á até que ponto estamos certos ou errados neste exercício a que nos propomos aqui. As outras equipas não se devem considerar diminuídas, até porque nem elas mesmas alguma vez ousaram anunciar o título como meta competitiva. Que têm as suas metas, lá isto têm, mas muito longe do título.

Últimas Opinies

  • 07 de Abril, 2021

    Ida ao Mundial marcou o futebol

    Em 2018, a nossa selecção de futebol adaptado trouxe-nos o primeiro troféu de cariz Mundial, ao vencer o campeonato do Mundo.

    Ler mais »

  • 07 de Abril, 2021

    Ganhos que podem ir ao ralo

    A circulação de pessoas e bens, apesar das dificuldades das estradas, faz-se com segurança.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um toque ao desenvolvimento

    O país comemorou ontem mais um ano de paz. Foi a 4 de Abril de 2002 que a Nação angolana presenciou a cerimónia que marcou o fim de um período de guerra que deixou inúmeras cicatrizes.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Os ganhos da nossa vaidade

    Ao assinalarmos 19 anos, desde que o país começou a desfrutar do alívio que só a paz proporciona, não há como não reconhecer os ganhos havidos no sector desportivo neste lapso de tempo.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um retrocesso em alguns casos

    O desporto foi o grande embaixador do país, algumas modalidades assumiram-se como verdadeiros porta-estandartes, dado os feitos protagonizados por algumas selecções nacionais.

    Ler mais »

Ver todas »