Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Cartada decisiva

17 de Março, 2018
O campeão nacional joga hoje, em Joanesburgo, uma cartada decisiva. Trata-se do jogo da segunda-mão que determina a entrada ou não do 1º de Agosto, na fase de grupos da Liga dos Campeões, e continuar a competir nas Afrotaças. Os militares entram em campo com uma ligeira vantagem, fruto da vitória (1-0) nos primeiros 90 minutos e devem aproveitar o facto.
Com o triunfo, embora magro, diante do Bidvest Wits da África do Sul, o embaixador angolano volta a marcar posição para a disputa da entrada na fase de grupos da \"Champions\" africana, que a acontecer remete a um regresso de 21 anos, depois da estreia nessa elite do futebol continental ao nível de clubes.
Depois de deixar pelo caminho, de modo claro, o Platinum FC do Zimbabwe, por 5-1 (3-0, na primeira-mão, e 2-1 na segunda), o 1º de Agosto ambiciona dar continuidade ao sonho africano, pode deixar também hoje na caminhada os sul-africanos. A empreitada não se afigura fácil, por tudo o que o adversário deu a ver no Estádio Nacional 11 de Novembro, no primeiro jogo.
Viu-se um Bidvest com futebol organizado e esclarecido, a jogar a toda dimensão do terreno e sem complexos, como se tivesse a actuar em casa. Tem algumas unidades individuais que desequilibram, pelo que os militares devem encarar o desafio com cautelas, mas sem deixar de apostar no jogo defensivo, pois, tal como se diz, a melhor defesa é o ataque.
Embora com uma ligeira vantagem, a equipa orientada por Dragan Jovic deve fazer tudo para a conservá-la ou ampliá-la durante a primeira parte, para evitar os derradeiros 45 minutos sob mais pressão, algo a que muitos jogadores não estão acostumados e às vezes chegam a ser determinantes no desfecho de eliminatórias, como a desta tarde no estádio Millpark, em Joanesburgo.
O Bidvest Wits vai procurar a posse da bola ao longo do jogo e empurrar o 1º de Agosto para o meio campo ou ao último reduto desde o início da partida, na tentativa de dentro do primeiro quarto de hora anular o 1-0, que os militares alcançaram em Luanda.
Ciente destas nuances, espera-se que os militares estejam preparado no limite das suas forças, para contrariar o favoritismo caseiro dos anfitriões que vão contar ainda, com o apoio incondicional dos seus adeptos, provavelmente, mobilizados para lotarem por completo a capacidade do estádio Millpark.
A África do Sul deve gozar de mais influência que Angola junto da Confederação Africana de Futebol, é bom que a equipa angolana esteja atenta às manobras do \"extra -jogo\", uma situação que em abono da verdade está a ser ultrapassada com o passar dos anos, relativamente à um passado recente em que se assistia a escândalos, num claro golpe à verdade desportiva. Ainda bem, que já não é assim.
Em todo o caso, o 1º de Agosto sabe o que lhe espera, auguramos que tenha estudado minuciosamente através de um verdadeiro \"scouting\", para melhor enfrentar o adversário.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »