Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Chicotadas em curso

21 de Março, 2017
No Girabola do ano passado, seis formações afastaram os seus técnicos em função dos maus resultados que apresentaram as suas equipas, e fizeram soar as ditas \"chicotadas psicológicas\".

Na época 2016, equipas como Kabuscorp do Palanca, Porcelana FC, 1º de Maio de Benguela, Académica do Lobito, ASA e Recreativo da Caála procederam a mudanças nas respectivas equipas técnicas, umas lograram os resultados desejados, e outras nem tanto o que esperavam. Aliás, o 1º de Maio e o Porcelana FC, nem resistiram à queda para segundo escalão, com os proletários de Benguela a beneficiar da desistência do Benfica de Luanda, e em consequência, regressar ao convívio dos grandes.

Com o Girabola 2017 em andamento, pois, está no segundo terço da primeira volta, há quem recorreu ao vulgar expediente para desmoralizar homens, cuja profissão depende de (bons) resultados. Académica do Lobito, Progresso da Lunda Sul e FC Bravos do Maquis já deixaram no desemprego três treinadores, nomeadamente, António Alegre, Paulo Figueiredo e João Pintar.

O que sucedeu a estes treinadores, não é algo novo, porém, é preocupante dada a frequência com que as direcções dos clubes recorrem à dita \"chicotada psicológica\", para se desfazerem dos treinadores. Já dissemos em várias ocasiões, que nem sempre estas medidas atingem os objectivos preconizados, como já ficou visto.

Ou seja, nem sempre a mudança de técnico altera o \"status\" da equipa na competição. O problema é que quando as direcções dos clubes estão descontentes com os resultados das equipas, normalmente, são os treinadores que \"pagam a factura\", como soe dizer-se.

Isso, indicia que mais técnicos podem vir a pagar tal factura. Ou seja, as substituições de Paulo Figueiredo por Albano César, João Pintar por Zeca Amaral, e António Alegre por provavelmente Finda “Mozer”, podem não ficar por aqui. Era bom que fosse assim , mas pelo andamento do campeonato e com os resultados de algumas equipas, muita água pode ainda correr, por debaixo da ponte.

Espera-se que as direcções dos clubes dêem mais tempo aos treinadores, afinal, não se almejam grandes resultados, em apenas um ano de trabalho. Mas os próprios treinadores também sabem, que são os resultados que definem o seu \"curriculum\", então, é bom que se preparem psicologicamente, para o que der e vier.

Últimas Opinies

  • 19 de Março, 2020

    Escaldante Girabola

    O campeonato nacional de futebol da primeira divisão vai dobrando os últimos contornos. A presente edição, amputada face a desqualificação do 1º de Maio de Benguela, abeira-se do seu fim . Entretanto, do ponto de vista classificativo as coisas estão longe de se definirem. No topo, o 1º de Agosto e o Petro travam uma luta sem quartel pelo título.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Cartas dos leitores

    Estamos melhor do que nunca. A pressão é para as pessoas que não têm arroz e feijão para comer. Estamos sem pressão, temos todos bons salários e boas condições de trabalho. Estamos numa situação de privilégio e até ao último jogo tivemos apenas duas derrotas.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Jogos Olmpicos2020

    A suspensão de diferentes competições desportivas a nível mundial em função do coronavírus, já declarada pela OMS-Organização Mundial da Saúde como Pandemia, remete-nos, mais uma vez, a reflectir sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Pelo menos até aqui, o COI-Comité Olímpico Internacional mantém de pé a ideia de realizar o evento nos prazos previstos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    FAF aquece com eleies

    Cá entre nós, o fim do ciclo olímpico, tal com é consabido, obriga, por imperativos legais, por parte das Associações Desportivas, de um modo geral e global, a realização de pleitos eleitorais para a renovação de mandatos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    Cartas dos Leitores

    Acho que o Estado deve velar por essas infra-estruturas.

    Ler mais »

Ver todas »