Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Clima tenso no basquetebol

18 de Junho, 2018
O ambiente no basquetebol está tenso depois do presidente da Federação ter declarado em conferência de imprensa a falta de apoio do departamento ministerial que rege o desporto nacional, concretamente na não alocação de verbas para a Selecção Nacional poder cumprir com o seu programa na preparação para o Mundial.
Por falta de recursos financeiros a equipa nacional foi obrigada a abortar o estágio previsto para terras turcas, onde, incompreensivelmente, já se encontrava o seleccionador nacional, que lá ficaria à espera dos seus seleccionados.
Colocando a carroça à frente dos bois, como soe dizer-se, a federação terá dado um passo em falso, porquanto, sem a confirmação em mãos das verbas para o estágio, nunca o seleccionador deveria ter rumado para o local escolhido sem a confirmação da parte da FAB de que tudo estava em dia.
O Jornal dos Desportos sabe que o Minjud deverá hoje colocar tudo em pratos limpos que nos diz respeito às verbas que o presidente da Federação de Basquetebol diz não ter recebido para os compromissos da selecção.
Documentos do órgão reitor do desporto nacional desmentem as afirmações de Hélder Cruz. De acordo com as provas documentais que o Ministério da Juventude e Desportos tem em sua posse, cerca de quarenta milhões de kwanzas caíram nas contas da Federação.
Angola projecta a sua presença no Cairo, mais uma etapa na qualificação para o próximo Campeonato do Mundo que terá como palco a China, e certamente que era anseio de todos amantes do desporto que o conjunto nacional tivesse a melhor preparação possível.
Na capital egípcia o clima que a Selecção Nacional vai encontrar não vai ser, seguramente, ameno em termos competitivos, dado que os outros integrantes do grupo, com os anfitriões à cabeça, almejam dar passos largos em frente. Afastar Angola do seu caminho é uma das suas prioridades.
À Selecção Nacional interessava, deste modo, ter uma preparação sem sobressaltos, sem pendentes administrativos e com todas as questões resolvidas, para que tudo corra a preceito.
O conjunto nacional deve agora fazer uma preparação caseira para os compromissos do Mundial, e o seleccionador nacional já está em Luanda, certamente insatisfeito por tudo aquilo que os seus comandados têm vivido.

Últimas Opinies

  • 09 de Dezembro, 2019

    Ruben chegou, viu e permaneceu

    O técnico argentino Rúben Garcia é o técncio estrangeiro que mais tempo esteve no  Girabola.. Desembarcou em 1982 para estar ao serviço do  1º de Maio de Benguela, para, depois,  orientar a  Académica do Lobito, FC.

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2019

    Do amor ideologia, devoo ao dinheiro

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2019

    Prova influenciou a media desportiva

    O “Girabola”, pode-se agora afirmar, influenciou sobremaneira a formação da Redacção Desportiva da RNA. Aquele mencionado quinteto de radialistas havia-se tornado insuficiente para a demanda, sobretudo a partida dos dois últimos.

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2019

    Notas da Histria do nosso futebol

    A história oficial do futebol angolano teria de  começar pelas décadas de 1920-30-40, porém, vamos aqui cingir-nos ao tempo de Angola já independente. E não se iria festejar a independência sem se jogar à bola; seria incaracterístico de um povo amante do futebol.

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2019

    Arbitragem de poca em poca

    A história do Campeonato Angolano de Futebol, Girabola, como também é conhecido, é repleta de factos curiosos em termos de arbitragem. O campeonato é considerado por muitos especialistas do futebol, como um dos mais disputado do nosso Continente, o que é diferente de ser o melhor.

    Ler mais »

Ver todas »