Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinião

Clássico no basquetebol

19 de Abril, 2018
A 40ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculinos, agora Unitel Basket, reserva para hoje o aliciante Petro de Luanda - 1º de Agosto, duelo sempre aguardado com expectativa pelos aficionados da modalidade.
Agendado inicialmente para sábado passado, no mesmo dia em que se jogou o clássico dos clássicos do futebol nacional, os amantes da "bola ao cesto" têm a oportunidade de voltar a viver emoções de um jogo de primeira água, como soe dizer-se.
Ao contrário do que aconteceu no futebol, a expectativa que antecede o jogo de logo mais às 18 horas no pavilhão arena do Kilamba, é a certeza de que por mais tácticas que se apliquem, um dos contendores sai obrigatoriamente vencedor, já que no basquetebol não há empates. E, ainda bem que é assim!
A disputar a quarta e última etapa da fase regular, a competição apresta-se a entrar na fase de play -off, em que vai se exigir um pouco mais às equipas, sobretudo, às que têm o título como o grande objectivo. É o caso destes dois colossos da modalidade. Aliás, tal como no desporto rei, o Petro de Luanda e o 1º de Agosto são "eternos" e crónicos candidatos à conquista do campeonato. A estes, juntam-se o Recreativo do Libolo (agora Sport Libolo e Benfica) e o Interclube, formam o quarteto mais poderoso, embora, possam aparecer alguns intrusos na disputa.
Entretanto, para hoje as atenções centram-se nas equipas mais tituladas do basquetebol doméstico e eternos rivais, quer na quadra de jogo com fora dela, por via das claques, dos sócios, adeptos e simpatizantes.
Ou seja, no "trumunu" entre os dois grandes do desporto nacional, há sempre disputa acirrada dentro e fora de campo.
Em termos de jogo, o 1º de Agosto mostra estar melhor que o seu adversário. A liderar o Unitel Basket, os militares querem manter o controlo da situação para continuarem a sonhar com o resgate do título que está em posse do Recreativo do Libolo.
Com o regresso de Paulo Macedo ao comando da equipa, as coisas caminham até agora sem grandes sobressaltos, com sinais claros de se cumprir com os objectivos. Contudo, há ainda muito campeonato pela frente e muita coisa pode vir a acontecer.
Surpreendido pelo "outsider" Helmarc, na jornada passada, que perdeu por mais de dez pontos, 101-110, o Petro de Luanda refeito do desaire tudo vai fazer para apresentar-se ao mais alto nível ao confronto em que está em jogo a rivalidade, em que cada uma das equipas procuram preservar o seu prestígio e o seu ego.
À partida, os militares estão mais motivados para saírem do pavilhão do Kilamba sorridentes, por tudo quanto têm feito, também por tratar-se de um dérbi e ao mesmo tempo, o clássico dos clássicos, muita coisa pode vir a acontecer e qualquer um dos contendores pode chamar a si o triunfo nesta partida.
Assim, aguarda-se, pois, pelo clássico do basquetebol nacional.

Últimas Opiniões

  • 24 de Maio, 2018

    Repatriar também para o desporto

    “A volta do mecenas” é o título da canção da atriz Clarice Falcão no dueto com o músico Matheus Torreão e que se encontra no álbum “Problema Meu”. A música fala da esperança de que o mecenas retornará para o surgimento da nova renascença.

    Ler mais »

  • 24 de Maio, 2018

    Cartas dos Leitores

    Gostaria de realçar o desejo de que todos aqueles que beneficiarem deste espaço, para qualquer serviço, consigam também participar da sua manutenção, porque só assim conseguiremos mantê-la.

    Ler mais »

  • 24 de Maio, 2018

    Guimarães volta a encestar

    As modalidades desportivas só se desenvolvem com o contributo dos seus melhores fazedores, aqueles que têm domínio das mesmas, que conseguem identificar as suas debilidades e encontrar soluções pontuais.

    Ler mais »

  • 24 de Maio, 2018

    A inovação da federação!

    Os amantes da "bola ao cesto", em particular, e do desporto no geral, foram mais uma vez surpreendidos pela direcção da Federação Angolana de Basquetebol (FAB).

    Ler mais »

  • 21 de Maio, 2018

    Cartas dos Leitores

    O tipo de competição que o andebol tem não é digno daquilo que a modalidade conquistou, quer a nível de África, quer no mundo.

    Ler mais »

Ver todas »