Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Clssico no basquetebol

19 de Abril, 2018
A 40ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculinos, agora Unitel Basket, reserva para hoje o aliciante Petro de Luanda - 1º de Agosto, duelo sempre aguardado com expectativa pelos aficionados da modalidade.
Agendado inicialmente para sábado passado, no mesmo dia em que se jogou o clássico dos clássicos do futebol nacional, os amantes da "bola ao cesto" têm a oportunidade de voltar a viver emoções de um jogo de primeira água, como soe dizer-se.
Ao contrário do que aconteceu no futebol, a expectativa que antecede o jogo de logo mais às 18 horas no pavilhão arena do Kilamba, é a certeza de que por mais tácticas que se apliquem, um dos contendores sai obrigatoriamente vencedor, já que no basquetebol não há empates. E, ainda bem que é assim!
A disputar a quarta e última etapa da fase regular, a competição apresta-se a entrar na fase de play -off, em que vai se exigir um pouco mais às equipas, sobretudo, às que têm o título como o grande objectivo. É o caso destes dois colossos da modalidade. Aliás, tal como no desporto rei, o Petro de Luanda e o 1º de Agosto são "eternos" e crónicos candidatos à conquista do campeonato. A estes, juntam-se o Recreativo do Libolo (agora Sport Libolo e Benfica) e o Interclube, formam o quarteto mais poderoso, embora, possam aparecer alguns intrusos na disputa.
Entretanto, para hoje as atenções centram-se nas equipas mais tituladas do basquetebol doméstico e eternos rivais, quer na quadra de jogo com fora dela, por via das claques, dos sócios, adeptos e simpatizantes.
Ou seja, no "trumunu" entre os dois grandes do desporto nacional, há sempre disputa acirrada dentro e fora de campo.
Em termos de jogo, o 1º de Agosto mostra estar melhor que o seu adversário. A liderar o Unitel Basket, os militares querem manter o controlo da situação para continuarem a sonhar com o resgate do título que está em posse do Recreativo do Libolo.
Com o regresso de Paulo Macedo ao comando da equipa, as coisas caminham até agora sem grandes sobressaltos, com sinais claros de se cumprir com os objectivos. Contudo, há ainda muito campeonato pela frente e muita coisa pode vir a acontecer.
Surpreendido pelo "outsider" Helmarc, na jornada passada, que perdeu por mais de dez pontos, 101-110, o Petro de Luanda refeito do desaire tudo vai fazer para apresentar-se ao mais alto nível ao confronto em que está em jogo a rivalidade, em que cada uma das equipas procuram preservar o seu prestígio e o seu ego.
À partida, os militares estão mais motivados para saírem do pavilhão do Kilamba sorridentes, por tudo quanto têm feito, também por tratar-se de um dérbi e ao mesmo tempo, o clássico dos clássicos, muita coisa pode vir a acontecer e qualquer um dos contendores pode chamar a si o triunfo nesta partida.
Assim, aguarda-se, pois, pelo clássico do basquetebol nacional.

Últimas Opinies

  • 18 de Outubro, 2018

    Principal objectivo est a ser cumprido

    Apesar da derrota diante da Mauritânia, na passada terça feira, em minha modesta opinião, a Seleção Nacional de Honras, Palancas Negras, está no bom  caminho, em função do nosso histórico nos últimos oito anos.

    Ler mais »

  • 18 de Outubro, 2018

    Citaes

    Agradeço a Angola Telecom a oferta de 650 mil UTT de saldo, que me permite comunicar.

    Ler mais »

  • 18 de Outubro, 2018

    Tudo complicado

    A derrota averbada pela Selecção Nacional de futebol, na terça-feira, em Nouakchott, convida-nos a um exercício matemático sobre as possibilidades que restam para a qualificação ao Campeonato Africano das Nações de 2019, nos Camarões. Dizer que a qualificação passa, por ora, a ser uma miragem, pode infundir algum pessimismo exacerbado. Mas, aferir que ela ficou um pouco comprometida, não seria nenhuma mentira.

    Ler mais »

  • 15 de Outubro, 2018

    Pelo desporto adaptado!

    Nda kukuete cimue ñe watungila ondjo? As manhãs de 1 de Janeiro foram as mais divertidas de sempre e de rica memória para mim. Cançonetes bem harmoniosas, executadas por gentes que não fazíamos ideias de onde vinham, acordavam-nos e davam-nos a boa disposição para começar o ano. 

    Ler mais »

  • 15 de Outubro, 2018

    Herv Renard basta!

    O País nunca engoliu a saída abrupta do treinador francês Hervê Renard, por falta de pagamento dos seus salários. Para os dirigentes do futebol nacional, deixar um treinador ou jogador com dois ou três meses de salário é normal.

    Ler mais »

Ver todas »