Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Comeo brilhante...

09 de Setembro, 2017
Está dado assim os primeiro passo, ao qual outros seguir-se-ão rumo à conquista do anel africano, que deixou escapar na edição anterior para a Nigéria.

Espera-se que este resultado, construído com muita arte e engenho, venha constituir elemento moralizador para os outros dois jogos que compreendem esta primeira fase do torneio, sendo que um dos quais, contra Marrocos, está marcado para logo mais. Passar a primeira fase e tomar o caminho de Tunis, é o principal objectivo do combinado nacional.

É evidente que apesar da hegemonia evidenciada no jogo de ontem não deve cair em triunfalismos exacerbados, até porque cada adversário é um adversário, não tendo as equipas níveis equiparados. O adversário de hoje não se compara com o Uganda. Exige mais aplicação, mais entrega, mais concentração. Seja como for, temos fé que esta fase não nos tire o sono.

Mas também não devemos perder de vista que a nossa selecção em face do seu percurso glorioso tornou-se numa espécie de adversário a abater. As outras selecções nunca se conformaram com o elevado número de títulos que leva no palmarés. Há necessidade de travar o seu passo a ver se as outras tentam o equilíbrio no gráfico.

É também contra este elemento que terá de prestar muita atenção e mais do que isso revelar alguma genica na ultrapassagem de eventuais armadilhas que se lhe venham colocar no caminho do seu percurso competitivo. Mas sabemos que Manuel Silva \"Gi\" e seus comandados são donos de uma experiência quanto baste e que pode permitir o contorno de todas as vicissitudes.

Aliás, é por aí que faz todo o sentido a política de renovação paulatina das equipas. Pois, a renovação não deve obedecer á substituição total de uma geração por outra, é preciso saber partir-se para a chamada mescla veterania/juventude, sendo que os mais velhos tratam de infundir maturidade aos mais novos até que estes se adaptem e possam caminhar pelos próprios pés.

Os olhos estão apontados para a Tunísia. Mesmo que no grupo pontifiquem outras selecções também com fortes ambições. De resto, num agrupamento que apura os primeiros dois seria um descalabro se uma selecção que colecciona 12 títulos não conseguisse sequer o segundo lugar. Oxalá, a equipa continue com os mesmos índices de produtividade demonstrados e possa consumar o seu objectivo.

Últimas Opinies

  • 19 de Março, 2020

    Escaldante Girabola

    O campeonato nacional de futebol da primeira divisão vai dobrando os últimos contornos. A presente edição, amputada face a desqualificação do 1º de Maio de Benguela, abeira-se do seu fim . Entretanto, do ponto de vista classificativo as coisas estão longe de se definirem. No topo, o 1º de Agosto e o Petro travam uma luta sem quartel pelo título.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Cartas dos leitores

    Estamos melhor do que nunca. A pressão é para as pessoas que não têm arroz e feijão para comer. Estamos sem pressão, temos todos bons salários e boas condições de trabalho. Estamos numa situação de privilégio e até ao último jogo tivemos apenas duas derrotas.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Jogos Olmpicos2020

    A suspensão de diferentes competições desportivas a nível mundial em função do coronavírus, já declarada pela OMS-Organização Mundial da Saúde como Pandemia, remete-nos, mais uma vez, a reflectir sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Pelo menos até aqui, o COI-Comité Olímpico Internacional mantém de pé a ideia de realizar o evento nos prazos previstos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    FAF aquece com eleies

    Cá entre nós, o fim do ciclo olímpico, tal com é consabido, obriga, por imperativos legais, por parte das Associações Desportivas, de um modo geral e global, a realização de pleitos eleitorais para a renovação de mandatos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    Cartas dos Leitores

    Acho que o Estado deve velar por essas infra-estruturas.

    Ler mais »

Ver todas »