Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Competio salutar

19 de Maio, 2016
O Girabola Zap domina as atenções da praça futebolística, sobretudo à medida que se aproxima do fim, o primeiro turno. A 12ª jornada deixou no ar indicações de que as coisas tendem a tomar novos contornos. Ou seja, vai assumir-se uma outra competitividade. As equipas esperam chegar à 15ª jornada, com a tranquilidade de terem cumprido, o que perspectivaram à partida.

Apesar de faltarem ainda quatro jornadas, o certo é que as coisas não correm à contento para algumas equipas, que vêem as metas muito aquém do que esperavam. O bom é que se trata da primeira volta e é larga a margem de probabilidades para dar a volta à situação, a segunda volta pode ser para algumas mais produtiva.

Por exemplo, no que se refere à disputa no topo, depois de uma arrancada fabulosa do 1º de Agosto e uma espécie de monotonia das outras equipas, com rótulo de candidatas ao título, as coisas parecem ajustar-se. Assiste-se a uma recuperação acentuada de outras formações. Se até certa altura o 1º de Agosto sentia algum conforto, pensamos que deixou de senti-lo depois da derrota, na jornada passada.

Aquilo que sempre chamamos quinteto de candidatos ao título, ficou arrumado na ordem de coluna por um, quando há bem pouco tempo estavam as equipas desse lote dispersas, em termos de classificação. Pelo menos, todas estão acima dos 20 pontos, um indicador claro de que as coisas podem aquecer, e capazes de provocar mudanças de vulto na ordem classificativa.

Talvez convenha destacar a fantástica recuperação da formação do Interclube, que aparece em segundo lugar, embora separado a cinco pontos do líder. O salto que encetou não deixa de ser salutar, se olharmos para a incómoda posição em que esteve pelo menos até à sexta jornada. Esta pressão ao líder só valoriza o campeonato e a turma da Polícia está de parabéns.

Enfim, o campeonato está interessante, porque nota-se que nem sempre as posições classificativas das equipas determinam o sentido de favoritismo, nos jogos entre si. Só assim se explica que um penúltimo colocado, a Académica do Lobito, vá ao Lubango derrotar o Desportivo da Huila, apontado como a equipa sensação da prova. Só assim se explica que um poderoso Libolo se visse em apuros, no próprio reduto, para evitar a derrota diante do Progresso do Sambizanga.

Se as equipas continuarem a expressar esta postura, no final, vença quem vencer, estaremos em condições de fazer um balanço positivo da prova em termos competitivos, que é o lado que compete às equipas, que não devem ser responsabilizadas pelas questões de foro organizativo.

O negativo da prova, pelo menos até aqui, pode ser a condição classificativa do Atlético Sport Aviação -ASA.Na verdade, a turma do aeroporto vai de mal a pior, razão por que teve de prescindir dos serviços do técnico Robertinho do Carmo.

Os aviadores ocupam a última posição, que não os dignifica pelo seu histórico e pela sua expressão na praça futebolística. Mas, como o campeonato tem ainda muita estrada a percorrer, estamos certos que saberá sacudir-se da crise e sair à conquista de posições mais honrosas e ajustadas à sua grandeza.

Últimas Opinies

  • 23 de Março, 2019

    Agora que venha o CAN do Egipto!

    Que venha agora o CAN do Egipto! Sim, que  venha o Campeonato Africano das Nações porque a fase de qualificação ficou já para atrás. 

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Cartas dos Leitores

    Estou aqui para trabalhar. É uma realidade nova para mim. Nunca estive em África.

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Angola est no Egipto

    O país acordou, hoje, na ressaca da explosão festiva resultante da qualificação da selecção nacional de futebol, ao Campeonato Africano das Nações, a disputar-se em Junho e Julho, no Egipto.

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Amanh um "tudo ou nada

    Amanhã é uma espécie de Dia D, para nós, e tal fica a dever-se aos ‘’Palancas Negras’’

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Um regresso depois de quase dez anos

    Volvidos quase dez anos, volto a assumir uma missão como enviado especial do Jornal dos Desportos, título para o qual escrevo desde o ano de 1997, e que nesse momento assumo o cargo de editor, depois de já ter sido sub-editor e correspondente provincial.

    Ler mais »

Ver todas »