Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Compromisso dos Palancas

24 de Maio, 2015
O país futebolístico aguarda com expectativa a convocatória do seleccionador nacional Romeu Filemon para os próximos compromissos dos Palancas Negras, concretamente as eliminatórias para o CHAN e o CAN cuja fase final tem lugar no Gabão. Uma expectativa legítima, é bom que se diga, porque a dignidade do futebol nacional, em termos de selecção, precisa de ser resgatada, devido aos resultados menos conseguidos dos Palancas Negras as competições em que participaram.

Um olhar para os seus mais recentes resultados permite ver as dificuldades que a selecção nacional teve para ombrear com as outras selecções continentais, concretamente na corrida para o último CAN que a Guiné Equatorial organizou, após algumas incertezas, dada a desistência de Marrocos, país inicialmente indicado sede da fase final. Angola esteve num grupo acessível, com o Burkina Faso, Gabão e Lesoto, mas ainda assim não logrou o apuramento.

Tal facto deixou marcas que urge apagar. As convocatórias do seleccionador nacional, integrando naturalmente os jogadores em melhores condições para representarem o país, tanto os que jogam no Girabola como aqueles que actuam fora do país, deve ser acompanhada das melhorias das condições administrativas para a selecções nacional.

Romeu Filemon já deu a entender que esta fase de limitações financeiras que o país vive também se pode reflectir nas suas convocatórias, onde a prata da casa deve estar em peso, particularmente no jogo com a RCA para a corrida ao CAN, dado que para o outro compromisso já se sabe que apenas actuam jogadores que evoluem nos respectivos campeonatos nacionais, mas tais limitações não são impeditivas para as selecções nacionais terem condições de acomodação e alojamento, além dos recintos prontos para os treinos.

O povo nunca se divorciou da sua selecção e isso deve ser um motivo forte para que haja uma nova mentalidade na abordagem em redor da selecção nacional em todas as suas vertentes, desde os aspectos administrativos às questões técnicas e competitivas. Angola participa nas duas provas de qualificação às respectivas fases finais, e já se sabe que não está lá apenas para participar, porque se não não adiantava gastar dinheiro apenas por gastar. Há objectivos e deve haver condições para que estes possam ser alcançados. De resto, Junho está à porta e as convocatórias do técnico devem sair ao longo da semana que amanhã começa. As conjecturas começam a ser feitas em relação às listas a ser divulgadas, pelo que se espera uma semana agitada.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »