Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Contas complicadas

20 de Maio, 2017
Angola não conseguiu dar o passo em frente, no CAN do Gabão, consentiu a primeira derrota diante da Tanzânia, um adversário que estava ao seu alcance, todavia, não esgotou as possibilidades de chegar à fase seguinte.

O empate, na primeira jornada diante do Mali, e a forma como foi conseguido, levava a crer que o jogo contra os tanzanianos seria diferente. Os jovens angolanos mostraram uma forte capacidade de superação, conseguirem anular a desvantagem de dois golos que levavam da primeira parte, e o empate alcançado no final da partida, foi unanimemente reconhecido com sabor a vitória, que não podia ser de outra maneira, dada a forma épica como foi arrancada.

Angola está na competição, sem objectivos definidos, pelo órgão reitor do futebol nacional. Sem possibilidades de dar ao conjunto as melhores condições para a sua preparação, o elenco federativo de Artur Almeida e Silva achou por bem não lançar pressão sobre os jogadores com definição de objectivos, preferiu, ao invés, que a equipa vá até onde puder chegar.

Neste momento, as contas estão complicadas, os jovens palanquinhas estão na terceira posição do seu grupo, liderado ainda pelo campeão em título, o Mali, com quem mede forças na derradeira partida da primeira fase da competição.

Mas isso, não significa que deixe de sonhar. As competições desses escalões etários, são sempre imprevisíveis, e mesmo com a inexperiência que transpareceu na derrota com a Tanzânia, Angola mostrou que pode surpreender os seus adversários, não obstante à preparação ter sido a menos cuidada, em relação aos seus parceiros de grupo.

Os jogadores angolanos podem reavivar o sonho da fase seguinte, se derrotarem o Mali amanhã, e o Níger impor uma derrota à Tanzânia, dado que nessa situação as quatro formações ficariam equiparadas em termos de pontuação, e as contas para a qualificação para a fase seguinte seriam outras.

Este, é o grupo onde as coisas só serão clarificadas, na derradeira jornada da fase inicial, e que centraliza por isso mesmo, as atenções gerais. Ghana e Guiné Conacry já estão apuradas no grupo A, à espera dos respectivos adversários.

O país espera, que amanhã haja uma reacção diferente dos seus jovens representantes, na competição que marca o regresso à grande montra continental, 17 anos depois da sua última participação.

Nas anteriores presenças, o conjunto angolano não passou da primeira fase, um cenário que no Gabão pode repetir-se, embora, ainda haja motivos para acreditar que nesta edição as coisas podem ser diferentes.

Últimas Opinies

  • 19 de Março, 2020

    Escaldante Girabola

    O campeonato nacional de futebol da primeira divisão vai dobrando os últimos contornos. A presente edição, amputada face a desqualificação do 1º de Maio de Benguela, abeira-se do seu fim . Entretanto, do ponto de vista classificativo as coisas estão longe de se definirem. No topo, o 1º de Agosto e o Petro travam uma luta sem quartel pelo título.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Cartas dos leitores

    Estamos melhor do que nunca. A pressão é para as pessoas que não têm arroz e feijão para comer. Estamos sem pressão, temos todos bons salários e boas condições de trabalho. Estamos numa situação de privilégio e até ao último jogo tivemos apenas duas derrotas.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Jogos Olmpicos2020

    A suspensão de diferentes competições desportivas a nível mundial em função do coronavírus, já declarada pela OMS-Organização Mundial da Saúde como Pandemia, remete-nos, mais uma vez, a reflectir sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Pelo menos até aqui, o COI-Comité Olímpico Internacional mantém de pé a ideia de realizar o evento nos prazos previstos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    FAF aquece com eleies

    Cá entre nós, o fim do ciclo olímpico, tal com é consabido, obriga, por imperativos legais, por parte das Associações Desportivas, de um modo geral e global, a realização de pleitos eleitorais para a renovação de mandatos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    Cartas dos Leitores

    Acho que o Estado deve velar por essas infra-estruturas.

    Ler mais »

Ver todas »