Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Contornos do Girabola

17 de Abril, 2016
Entretanto, longe do que previmos estão equipas catalogadas de início como candidatas ao título, juízo um tanto influenciado pelo investimento que o clube realizou, caminham quase sem rumo, quase irreconhecíveis, diga-se de passagem. Aliás, do quinteto que esperávamos (1º de Agosto, Libolo, Kabuscorp, Petro de Luanda e Interclube) só o primeiro vai dando cartas.

As outras equipas vai-se lá saber por quê, vão ao ralenti. Nem tanto à terra, nem tanto ao mar, situação de que a formação militar tira maior partido a aumentar o seu coeficiente classificativo. Com o seu satélite Desportivo da Huila a fazer uma espécie de protecção, o 1º de Agosto está com tudo para quebrar o decénio de jejum. É aquilo que em linguagem popular se diz "é agora ou nunca".

O Interclube que desde algumas edições é equipa de topo, está na fazer contas à vida pois é das cinco equipas apontadas como candidatas ao título, a que está pior classificada. Honestamente falando, a equipa da Polícia por mais que se esforce não vai a tempo de recuperar terreno, a ponto de voltar a olhar para o título como meta. O que se aconselha é tomar todas as cautelas por causa do estatuto que tem, para não se ver envolvida na luta pela descida de divisão.

A equipa pode estar a pagar as sistemáticas mudanças de treinadores que operou, ao invés de levar estabilidade competitiva parece ter piorado a situação. Ainda assim é uma situação superável, a direcção do clube deve saber inteligentemente ultrapassar para bem da massa associativa e para bem da imagem e da grandeza do Interclube.

O resultado de ontem frente ao Kabuscorp do Palanca acabou por trazer algum sentimento de alívio.

A situação já estava a preocupar não só os adeptos do clube como também a sua direcção. A programação e intensificação dos treinos, o trabalho psicológico aos jogadores são medidas urgentes a empreender pela equipa técnica e pela direcção, para ajudarem a equipa a lutar pelo seu objectivo.

Mas quem fala do Interclube fala do Libolo que também não está ser a equipa a que nos acostumámos, embora ainda tenha condição de acreditar, basta para tal ser mais pragmática. A experiência provou-nos que quem não aproveita na primeira volta, dificilmente dá a volta à letra no segundo turno, que é onde se joga não só na quadra como também em gabinetes.

Já agora uma palavra de apresso ao Desportivo da Huila, sem dúvida, até aqui a equipa sensação da prova. O técnico Ivo Traça e sua rapaziada têm vindo a desenvolver um excelente trabalho e oxalá mantenham o ritmo competitivo por mais jornadas, e melhor dito, por todo o campeonato.

Últimas Opinies

  • 15 de Julho, 2019

    O real papel do gestor desportivo

    As funções de um gestor desportivo não são mais do que as funções de um gestor de empresas, adaptadas e ajustadas às particularidades de um clube ou federação desportiva.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Quem explica o desporto angolano?

    O nosso desporto merece um estudo profundo, para se encontrar explicações que justifiquem os resultados que vai tendo.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    No nosso grupo (A),  somos a única selecção (Angola) que tem a sua primeira participação  a este nível. Canadá vai para a sua sétima, Nova Zelândia.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Objectivo falhado

    Angola não conseguiu alcançar o objectivo preconizado no Mundial de Hóquei em Patins, que se disputou em Barcelona, Espanha, acabando por se quedar na sexta posição.

    Ler mais »

  • 13 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    Vamos entrar para o campeonato em cada jogo para ganhar, nós queremos começar bem, com o pé direito. Como sabem, já temos o calendário.

    Ler mais »

Ver todas »