Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Definio nas Afrotaas

07 de Março, 2014
Os jogos da primeira mão, na semana passada, não foram nada felizes para os representantes angolanos, que consentiram derrotas nas partidas em que estiveram envolvidos o que, de certo modo, terá criado um clima de certa apreensão quanto ao seu futuro.

Ainda assim, é legítimo acreditar que as coisas podem ser alteradas, até porque existe a noção de que as eliminatórias devem ser resolvidas em casa, com um trabalho bem feito e sempre com a convicção do apuramento.

Ao despirem-se das cores clubistas, os adeptos são chamados a dar o seu apoio às equipas nacionais, assumindo-se como o 12º jogador e prontos a incentivarem os artistas da bola.

Em desvantagem na eliminatória, o campeão angolano vai ser o primeiro a decidir o futuro e tem de anular o resultado de 0-1 com que saiu do Cairo no primeiro jogo, no passado sábado.

O resultado magro cria boas perspectivas para a formação do Palanca, ainda que o adversário seja de um país com vasta tradição no futebol e habituado a estas andanças. O Zamalek é um portento no futebol continental mas pode, perfeitamente, ser cilindrado, uma vez que não é de todo imbatível, até porque os jogos são definidos dentro das quatro linhas e nunca em função do histórico de determinada equipa.

Por isso mesmo, esta tarde a equipa angolana tem condições para dar a volta à eliminatória e colocar-se em posição de ficar mais perto da fase de grupos da Liga dos Campeões.

O Kabuscorp tem feito bem o trabalho de casa e começou a preparar o jogo desta tarde logo após a derrota, na capital egípcia. A reviravolta na eliminatória nunca foi posta em causa e há a convicção de que vai chegar à penúltima eliminatória.

O Kabuscorp pode, pois, ser a candeia que ilumina o caminho das equipas angolanas nesta fase das Afrotaças, numa jornada em que também estarão envolvidos o 1º de Agosto e o Petro de Luanda, com jogos caseiros, tal com o Desportivo da Huíla que, fora de portas, vai tentar sobreviver na Tunísia, todos em desvantagem nesta eliminatória.

Até domingo, o Estádio 11 de Novembro deve registar uma intensa movimentação, esperando-se um comportamento digno dos adeptos. É nos momentos mais tristes que as equipas mais deles precisam. Que assim seja.

Últimas Opinies

  • 15 de Julho, 2019

    O real papel do gestor desportivo

    As funções de um gestor desportivo não são mais do que as funções de um gestor de empresas, adaptadas e ajustadas às particularidades de um clube ou federação desportiva.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Quem explica o desporto angolano?

    O nosso desporto merece um estudo profundo, para se encontrar explicações que justifiquem os resultados que vai tendo.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    No nosso grupo (A),  somos a única selecção (Angola) que tem a sua primeira participação  a este nível. Canadá vai para a sua sétima, Nova Zelândia.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Objectivo falhado

    Angola não conseguiu alcançar o objectivo preconizado no Mundial de Hóquei em Patins, que se disputou em Barcelona, Espanha, acabando por se quedar na sexta posição.

    Ler mais »

  • 13 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    Vamos entrar para o campeonato em cada jogo para ganhar, nós queremos começar bem, com o pé direito. Como sabem, já temos o calendário.

    Ler mais »

Ver todas »