Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio
por Teixeira Cndido

Drbi sem chama

29 de Setembro, 2013
Pressionado pelo FC Bravos do Maquis e o Sagrada Esperança, o 1.º de Agosto entra hoje para o “clássico” com a obrigação de ganhar ao Petro de Luanda, no jogo grande do cartaz da 25.ª jornada.

Pelo histórico das duas equipas, trata-se de uma grande partida, mas sem implicações para a classificação do Girabola 2013. O lugar ocupado pelo Petro de Luanda não contribui muito para as habituais emoções.

Os tricolores são sétimos colocados, a 14 pontos dos militares, que ocupam a segunda posição. Em face disso, o “clássico” não tem muita força, o que não significa ausência de emoções, pois a rivalidade entre as duas formações desperta sempre sentimentos fortes.

O “clássico” tem maior importância para a equipa treinada por Daúto Faquirá por estar a ser pressionada pelo FC Bravos do Maquis, que tem menos quatro pontos, assim como o Sagrada Esperança, que tem sete de desvantagem.

Por isso, o “clássico” desta tarde é importante para os militares. A pressão pode significar vantagem para os tricolores, que entram para o relvado do Estádio 11 de Novembro sem nada a perder. A diferença pontual entre os militares e os tricolores não significa, à partida, vantagem para a equipa do Rio Seco. Tão-pouco se pode falar em favoritos. Um clássico é sempre um clássico, como se diz. Tem características próprias, de entre as quais a imprevisibilidade.

A vigésima-quinta jornada inscreve hoje mais dois jogos. O Santos FC, que se encontra na corda-bamba, defronta o Recreativo do Libolo, e o Progresso recebe o 1.º de Maio de Benguela. Os santistas esgotaram todas as possibilidades de poderem errar sem consequências. Com 19 pontos, na penúltima posição, o caminho é ganhar ou ganhar.

LUTA ÁRDUA
Progresso e Maio
evitam queda


Separados por um ponto, o Progresso do Sambizanga e o 1.º de Maio de Benguela ainda não estão a salvo, embora seja muito difícil que caiam na segunda divisão. Os sambilas têm 24 pontos e os proletários 23.

A diferença que os separa é de cinco e quatro pontos respectivamente. É uma distância anulável, sobretudo porque ainda estão em disputa 15 pontos. Ou seja, embora estejam afastados, não têm, no entanto, a vida resolvida no Girabola.

Essa necessidade de pontuarem para se libertarem do pelotão, vai tornar a partida emocionante e cheia de interesse. Na primeira volta, as duas equipas empataram. E as circunstâncias e o nível das formações aponta para novo empate.

Os sambilas gozam da vantagem de terem um jogo a menos. Ou seja, podem resolver mais facilmente a sua vida, em caso de vitória hoje e frente ao Recreativo do Libolo, em partida atrasada.

Últimas Opinies

  • 24 de Agosto, 2019

    O amiguismo na resciso

    O assunto de momento no nosso futebol, convenhamos, é sem dúvidas o desenlace entre a Federação Angolana de Futebol (FAF) e o técnico Srdjan Vasiljevic, em face de algumas situações que vinham acontecendo e que originou que se estalasse o verniz.

    Ler mais »

  • 24 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Os jogadores aguardaram isso dos dirigentes, para que a motivação crescesse

    Ler mais »

  • 24 de Agosto, 2019

    O sonho dos grupos

    Após as vitórias extramuros nas deslocações à Tanzânia e ao Lesotho, o 1º de Agosto e Petro têm, neste fim-de-semana, a oportunidade soberana de confirmarem a qualificação para última eliminatória de acesso a fase de grupos da Liga dos Campeões Africanos.

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Viemos a público para responder ou esclarecer o que aconteceu.

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    O divrcio anunciado

    Não faz ainda muito tempo do anúncio do divórcio, entre o órgão reitor do futebol nacional e o então seleccionador nacional de honras, o sérvio Srdjan Vasiljevic, que ontem deixou o país.

    Ler mais »

Ver todas »