Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Desencontro de calendrios

30 de Setembro, 2017
Em regra, a ponta final do torneio podia ser disputada sem quaisquer interregnos, de modos que fosse salvaguardados os ritmos competitivos das equipas. Pois, o famoso \"anda pára, pára anda\", não ajuda muito no esquema táctico, por isso, as equipas técnicas revelam-se amiúde, contra paragens sistemáticas do campeonato.
Mesmo o público, em particular os adeptos de equipas com objectivos em jogo, não são a favor de um campeonato que volta e meio é interrompido, sobretudo, quando se encontra numa fase de definição de posições classificativas. Mas pelos vistos, estas últimas jornadas acabam sempre por ser disputadas a conta - gotas, pois, com a Taça de Angola de permeio, não há como.
Entre os dias 6 e 7 de Outubro, por exemplo, jogam-se os quartos-de-final da prova, força mais uma vez à paragem no Girabola. Ainda assim, não há condições para que depois disso, o Girabola Zap dispute as quatro derradeiras jornadas sem pausa, porque há aí as meias-finais, que apenas a final joga-se depois do desfecho do campeonato.
Ora, estamos perante uma situação, que em vez de ajudar as equipas, prejudicá-as. Pois, há- as que já não estão na Taça de Angola, são obrigadas à paragem, porque o adversário da jornada está na outra competição. Não fosse assim, talvez a prova prosseguisse, deixava de fora as equipas que ainda estejam na taça. Mas o quadro obriga a paragem de tudo, é legítimo.
Aqui, voltamos a insistir na política de um melhor ajustamento do calendário, das duas competições. Ou, o Girabola Zap começa mais cedo, ou a taça, a única forma de evitar o desfecho, quase simultâneo, das duas competições. As últimas jornadas, não podem coincidir, com as últimas eliminatórias da taça. É prejudicial para as equipas concorrentes.
Por exemplo, nesta altura, temos a feliz coincidência das duas equipas que disputam o título do campeonato, Petro de Luanda e 1 de Agosto, também estarem na taça, podia dar-se o caso, de estar apenas uma delas, e se assim fosse, ficava beneficiada a que estivesse em competição, e prejudicava a outra, que joga semana sim, semana não. Urge rever o quadro.

Últimas Opinies

  • 21 de Março, 2019

    Um regresso depois de quase dez anos

    Volvidos quase dez anos, volto a assumir uma missão como enviado especial do Jornal dos Desportos, título para o qual escrevo desde o ano de 1997, e que nesse momento assumo o cargo de editor, depois de já ter sido sub-editor e correspondente provincial.

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    A eliminao do Petro e o tal patriotismo

    Terminada a participação Petro de Luanda, na Taça Nelson Mandela, é normal que por esta altura, esteja a ser feita uma profunda reflexão em torno da participação na referida competição africana, nos mais diversos aspectos que ela comporta, sem descorar, portanto, a (des) continuidade do técnico Beto Bianchi, que mais uma vez não conseguiu o troféu de uma competição em que esteve envolvido. 

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Palancas Negras de olhos no Egipto

    A Selecção Nacional de futebol honras, vulgo Palancas Negras, só depende de si para chegar à fase final do Campeonato Africano das Nações (CAN) de 2019, que vai ser disputado no Egipto.

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Cartas dos Leitores

    Procuramos fazer tudo para vencer o jogo, mas não conseguimos, porque o adversário  (Recreativo do Libolo) foi competente e inteligente, assim como conseguiu aproveitar as nossas falhas defensivas e, em lances de bolas paradas, marcaram os dois golos.

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Zebras para domar...

    A Selecção Nacional de futebol de honras, às ordens do sérvio Srdjan Vasiljevic, decide amanhã, em Franciston, Botswana, a qualificação para o Campeonato Africano das Nações (CAN), que o Egipto acolhe de 19 de Junho a 21 de Julho deste ano.

    Ler mais »

Ver todas »