Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Despique para o ttulo

08 de Maio, 2017
Com o Girabola prestes a fechar a primeira volta, tínhamos a sensação de que a par dos candidatos iniciais, o Sagrada Esperança poderia entrar nas contas do título, mas parece que o melhor é esperar mais um pouco para se ter a certeza de que não se trata de sol de pouca dura.

É da praxe, no início do Girabola, fazerem-se os habituais exercícios de eleição das equipas com mais probabilidade de disputarem o título da competição. Determinadas por vários factores, as escolhas nem sempre coincidem com o desempenho em campo dos candidatos que são escolhidos à partida.

Este ano, tal como nos últimos, as coisas não mudaram nada no quesito de candidatos. Ou seja, são os mesmos quatro/cinco candidatos, nomeadamente 1º de Agosto, campeão, Petro de Luanda, vice-campeão, Recreativo do Libolo, Kabuscorp do Palanca e Interclube, antigos campeões.
Disputado quase a primeira volta da competição, não se pode negar que tivemos um \"outsider\" neste despique pela sucessão da equipa militar do Rio Seco. A presença da equipa lunda do Sagrada Esperança no topo da classificação nas últimas três jornadas é sintomático de que a competição está a ser disputada sob o signo do equilíbrio.

Apenas uma das quatro/cinco equipas iniciais candidatas ao título não está a corresponder com este rótulo: trata-se do Interclube, que apesar de estar a praticar bom futebol, não consegue conciliar com os resultados, o que lhe coloca distante dos demais concorrentes e sem passada para acompanhar a marcha da concorrência.

A equipa da Polícia enfrenta dificuldades para se impor. Contrariamente, o Sagrada Esperança apesar do desaire de ontem parece disposto a entrar nesta luta de titãs, e fazer prevalecer a ideia de que no futebol não há vencedores antecipados e continua a ser uma caixinha de surpresas agradáveis e desagradáveis.

Os dois crónicos candidatos, Petro de Luanda e 1º de Agosto, ainda não estão no seu melhor mesmo com o campeonato a se encaminhar para o término da primeira volta. Apesar disso, têm justificado que são os dois maiores colossos do futebol nacional.

Já os candidatos Recreativo do Libolo e Kabuscorp do Palanca procuram de jornada a jornada mostrar que estão vivos e dispostos a não facilitar a vida de petrolíferos e militares, pelo contrário vão de tudo fazer para continuarem a fazer do restrito campeonato de equipas que almejam levar, mais uma vez, o troféu de campeão, para as suas galerias. Mas como ainda há muito campeonato pela frente, o melhor mesmo esperar para vermos quem é quem. Por enquanto, que venham as emoções.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »