Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Dia da consagrao

05 de Novembro, 2017
A edição 2017 do campeonato nacional de futebol da 1ª Divisão termina hoje com o 1º de Agosto já campeão antecipado em face dos deslize dos seu concorrente directo. Até ao momento foram jogadas 29 partidas em oito mil e cem minutos, que permitiram ver novas estrelas que despontam no nosso futebol.

O clube central das Forças Armadas que vinha lutando pelo título com espírito de revalidação, vai levantar o troféu logo mais após o jogo contra o Kabuscorp do Palanca, independentemente do resultado que se venha a verificar. O Petro de Luanda foi demasiado permissivo, dando azo que as coisas tivessem este quadro na última jornada, quando a certa altura parecia ter o calendário mais favorecido.

Aliás, com o Recreativo do Libolo e Kabuscorp do Palanca algo irreconhecidos, a ousadia dos tricolores até certo ponto veio dar outra alegria ao campeonato que passou a ter dois candidatos nas últimas sete jornadas.

Na verdade, assistimos um futebol de muita qualidade não só para a conquista do título como também para a permanência na Divisão maior do nosso futebol.

Como sempre, tivemos vários casos de arbitragens, mesmo que alguns resultem de uma mera invenção sem provas palpáveis, sendo que o mais sonante foi o do jogo Bravos do Maquis-1º de Agosto, em que este último acabou acusado de ter financiado os árbitros na véspera, em operações que tiveram lugar, de acordo com o denunciante, nas bombas de abastecimento de combustível na cidade do Luena.

O 1º de Agosto e o Petro de Luanda foram as equipas mais competitivas da prova, tendo os tricolores se batido até ao limite para a conquista do título. Mas, diga-se em abono da verdade que, quem precisa chegar a campeão precisa ter mais ousadia e maior controlo de emoções. A turma de Beto Bianchi, resvalou quando menos se esperava, fazendo resultado que facilitavam apenas o adversário.

Santa Rita de Cássia, Progresso da Lunda Sul e ASA lutaram para não ocuparem posições que levam à descida de divisão, mas não conseguiram dar volta à situação e acabaram apanhadas na argola. Rolaram para os tapetes da segunda divisão, onde se espera venham superar as limitações que detêm para um futuro regresso mais auspicioso.

Estas equipas, especialmente o ASA, que é uma grande referência do nosso futebol, devem primeiro criar condições para competir e permanecer por mais tempo entre os grandes do futebol nacional. Portanto, temos bons motivos para estarmos expectantes hoje em que jogar-se-ão os últimos 90 minutos do Girabola Zap 2017, a ver como se arruma, de um a 16, a classificação final da prova.

Depois do apito final dos últimos 90 minutos teremos as respostas a estas perguntas. Naturalmente no 11 de Novembro depois do jogo com o Kabuscorp a festa dos militares vai começar quando Dani Massunguna e companheiros erguerem a taça. Podemos dizer sem receio que foi um campeonato muito bem disputado com o 1º de Agosto a fazer valer a sua condição de campeão em título.

O Petro de Luanda, com a sua miudagem, diga-se de passagem, açucarou o campeonato com a pretensão de conquistar o título.

Esperamos que em 2017 tenhamos um campeonato melhor em termos de qualidade técnica dos jogadores e com isso a nossa Selecção Nacional fique cada vez mais fortificada. Adeus Girabola Zap 2017.

Últimas Opinies

  • 18 de Julho, 2019

    Final interessante

    Um mês depois de fortes emoções vividas nos estádios e em outros espaços fora e longe dos centros de disputa,  vamos ter,  finalmente,  amanhã dia 19, o cair do pano da XXXII edição do Campeonato Africano das Nações de futebol, organizado pelo Egipto.

    Ler mais »

  • 18 de Julho, 2019

    A dvida de Akw

    O dia 8 de Outubro de 2005, ficará para sempre gravado na história do desporto angolano e do futebol em particular.

    Ler mais »

  • 18 de Julho, 2019

    Assim no est nada bom

    Depois da decepção que foi a participação dos Palancas Negras no Campeonato Africano das Nações, que ainda decorre no Egipto, com encerramento previsto para amanhã, 19 de Julho, pensei que a paz voltaria, quanto antes, a reinar no “quintal” do futebol doméstico, de si já prenhe de problemas.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Uma seleco coxa sem craques de elite

    A qualidade  dos jogos dados a ver pelos Palancas Negras no CAN do Egipto, mostrou, mais uma vez, que não temos um estilo que nos identifica em termos de estilo.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    O real papel do gestor desportivo

    As funções de um gestor desportivo não são mais do que as funções de um gestor de empresas, adaptadas e ajustadas às particularidades de um clube ou federação desportiva.

    Ler mais »

Ver todas »