Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Dia de festa nacional

04 de Abril, 2017
O país comemora hoje mais um ano de paz. Já são 15 anos desde o calar das armas. Foi a 4 de Abril de 2002 que a nação angolana presenciou a cerimónia que marcou o fim de um período de guerra que deixou inúmeras cicatrizes. Por isso, o dia que hoje comemoramos constitui uma das maiores conquistas do nosso povo.

Graças à paz alcançada nessa data, a nação conheceu melhorias significativas em todos os domínios da vida social, de onde o desporto é parte integrante. Ao longo deste período, o desporto angolano alcançou vários títulos internacionais nas mais distintas modalidades, com realce para o basquetebol masculino e andebol feminino, além de inúmeras medalhas do atletismo paralímpico entre outras disciplinas individuais.

A pacificação do país permitiu a realização de vários eventos desportivos, onde o Campeonato de África das Nações em futebol (CAN), em 2010, aparece em destaque, sem desprimor para os demais eventos desportivos que o país albergou ao longo destes 15 anos de paz, com referências para dois campeonatos do mundo, nomeadamente o de hóquei em patins e o de Pesca.

Sem este pressuposto, todas estas realizações não eram possíveis de concretizar. Com o alcance da paz encaramos um país melhor, dado ao desenvolvimento, que tem permitido, entre outros ganhos, o aumento de estradas para a livre circulação de pessoas e bens.

Neste quesito, o desporto também sai a ganhar, pois pode assim estreitar laços de convívio entre os desportistas, que podem viajar para todas as províncias sem problemas de maior, correspondendo assim aos seus nobres anseios.

Ao longo destes anos de paz, o desporto angolano conheceu uma série de ganhos. Um destes ganhos foi a construção de várias infra-estruturas, como consequência da realização de vários eventos desportivos.

A realização do CAN -2010 e dos campeonatos africanos de basquetebol e andebol, além do Mundial de hóquei, como já fizemos referência, impulsionaram a construção de várias infra-estruturas desportivas, que permitiram elevar a auto-estima da população das províncias que tiveram o privilégio de receber os mesmos eventos.

Apesar dos constrangimentos financeiros que o país vive, há sensivelmente três anos, em virtude da baixa do preço do petróleo no mercado internacional, condicionando um conjunto de projectos que estavam em carteira em vários domínios, o país ainda assim tem cumprido os seus principais compromissos quer com a deslocação de várias delegações a diversos pontos do Globo, quer recebendo outras para cumprimento de provas que estavam e estão agendadas em solo pátrio.

Portanto, por tudo isso é fácil concluir que são tremendos os ganhos da paz. Em tempo de paz, a motivação é ainda maior para se continuar a fazer mais e melhor. É um orgulho para todos os angolanos, em particular para todos os desportistas, que devem reconhecer que um país só se desenvolve com paz e estabilidade.

Últimas Opinies

  • 19 de Março, 2020

    Escaldante Girabola

    O campeonato nacional de futebol da primeira divisão vai dobrando os últimos contornos. A presente edição, amputada face a desqualificação do 1º de Maio de Benguela, abeira-se do seu fim . Entretanto, do ponto de vista classificativo as coisas estão longe de se definirem. No topo, o 1º de Agosto e o Petro travam uma luta sem quartel pelo título.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Cartas dos leitores

    Estamos melhor do que nunca. A pressão é para as pessoas que não têm arroz e feijão para comer. Estamos sem pressão, temos todos bons salários e boas condições de trabalho. Estamos numa situação de privilégio e até ao último jogo tivemos apenas duas derrotas.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Jogos Olmpicos2020

    A suspensão de diferentes competições desportivas a nível mundial em função do coronavírus, já declarada pela OMS-Organização Mundial da Saúde como Pandemia, remete-nos, mais uma vez, a reflectir sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Pelo menos até aqui, o COI-Comité Olímpico Internacional mantém de pé a ideia de realizar o evento nos prazos previstos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    FAF aquece com eleies

    Cá entre nós, o fim do ciclo olímpico, tal com é consabido, obriga, por imperativos legais, por parte das Associações Desportivas, de um modo geral e global, a realização de pleitos eleitorais para a renovação de mandatos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    Cartas dos Leitores

    Acho que o Estado deve velar por essas infra-estruturas.

    Ler mais »

Ver todas »