Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Disputa a dois

23 de Outubro, 2014
Há indícios claros de termos uma ponta final de campeonato renhida e cheia de interesse. Os números do primeiro e segundo classificados levam a crer nessa possibilidade. São quatro pontos a separar uma equipa da outra, quando para jogar ficam em falta apenas três jornadas.É salutar quando assim as coisas acontecem. É evidente que em competição é interesse das equipas que lideram distanciarem-se cada vez mais das suas concorrentes. Mas do ponto de vista do interesse competitivo, nem sempre é agradável quando a seis, cinco ou quatro jornadas do fim o título seja já um assunto arrumado.

Assim, aconteceu nas duas últimas edições, com o Libolo sem concorrência em 2012, a mesma sorte do Kabuscorp do Palanca em 2013, os dois emblemas que, curiosamente, nesta edição, se digladiam pela posse do título. A formação do Cuanza Sul teve, na verdade, um campeonato a todos os títulos extraordinário. Mas, como não há nada que resista até ao limite, nesta ponta final enfrenta alguma recaída.E, em obediência à máxima segundo a qual no aproveitar está o ganho, a turma do Palanca tem sabido tirar proveito dos deslizes do Recreativo do Libolo, a ponto de hoje estar a escassos quatro pontos de diferença deste, quando no final da primeira volta da prova o fosso pontual era demasiado acentuado.

As jornadas em falta permitem a cada uma das equipas candidatas ao título a soma de mais 12 pontos. Portanto, aqui tudo ainda está em aberto quanto à luta pelo título. Seja como for, o líder detém relativa vantagem sobre o seu "carrasco", e depende de si mesmo para lograr a tão ansiada conquista.Já a equipa do Palanca precisa de contar com uma "mãozinha" de terceiros. Pois mesmo que venha a vencer os restantes jogos não chega a tanto, desde que o seu concorrente também se revele eficaz no aproveitamento pontual. Será preciso que este volte a registar alguns tropeços. E honestamente falando, não cremos muito nesta possibilidade.

Depois de um campeonato brilhante, como já aludimos, seria para o clube de Calulo um golpe sacramental perder o campeonato na ponta final. Vai dai que pensamos que Miller Gomes e os seus comandados tudo estão a alinhavar para não mais claudicar nos três últimos jogos. Para eles a margem de erro deve ser nula.Seja como for, pensamos que é este quesito que empresta qualidade e "suspense" ao torneio, achando-nos quase na contingência de dizer obrigado ao Kabuscorp do Palanca, por esta ousadia, que não vem senão valorizar a prova, que estaria já depreciada caso o Libolo continuasse a mandar nela a seu "bel prazer". Assim ganhou outro toque de qualidade e as próximas jornadas podem vir a dar muito pano para mangas.

Últimas Opinies

  • 23 de Março, 2019

    Agora que venha o CAN do Egipto!

    Que venha agora o CAN do Egipto! Sim, que  venha o Campeonato Africano das Nações porque a fase de qualificação ficou já para atrás. 

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Cartas dos Leitores

    Estou aqui para trabalhar. É uma realidade nova para mim. Nunca estive em África.

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Angola est no Egipto

    O país acordou, hoje, na ressaca da explosão festiva resultante da qualificação da selecção nacional de futebol, ao Campeonato Africano das Nações, a disputar-se em Junho e Julho, no Egipto.

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Amanh um "tudo ou nada

    Amanhã é uma espécie de Dia D, para nós, e tal fica a dever-se aos ‘’Palancas Negras’’

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Um regresso depois de quase dez anos

    Volvidos quase dez anos, volto a assumir uma missão como enviado especial do Jornal dos Desportos, título para o qual escrevo desde o ano de 1997, e que nesse momento assumo o cargo de editor, depois de já ter sido sub-editor e correspondente provincial.

    Ler mais »

Ver todas »