Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Disputa da COSAFA

06 de Maio, 2019
A Selecção Nacional de futebol em honras volta estar, este mês, engajada em mais uma frente internacional. Trata-se da Taça COSAFA, uma prova em que Angola já ousou subir em três ocasiões, isto em 1999, 2001 e 2004, ao lugar mais alto do pódio.
O combinado angolano vai competir, entre 25 do mês em curso a 8 de Junho próximo, na cidade sul-africana de Durban, ao lado das congéneres dos Camarões, eSwatini (ex-Swazilândia) e Ilhas Comores, no Grupo A, conforme ditou o sorteio da prova.
Para já, é ponto assente que Angola vai se fazer presente, nesta montra de futebol da região austral do continente, com um grupo de jogadores, que não serão os que irão representar o país no Campeonato Africano das Nações (CAN) deste ano no Egipto. Contudo, não está posta de lado a integração de alguns dos convocados.
Nesse momento, o sérvio Srdjan Vasiljevic, seleccionador nacional de honras e seus mais directos colaboradores, estão focados no programa de preparação da 32ª edição do CAN, previsto para o período de 21 de Junho a 19 Julho próximos, daí o facto de se apostar num outro grupo de jogadores, para este torneio regional.
A COSAFA, que, na sigla traduzida em português, significa Conselho das Associações de Futebol da África Austral, é encarada pelo técnico sérvio como um torneio de carácter evolutivo, que permitirá observar a capacidade e potencial de jogadores para os futuros compromissos. Apesar de grande parte dos jogadores seleccionados para a Taça COSAFA não vão disputar o CAN, isso não significa que não venham a representar condignamente o país.
Pelo contrário, é uma prova em que Angola já subiu ao pódio e por isso tem obrigação de fazer boa figura. Agora não é menos verdade, que pela frente vai ter como adversários a forte selecção dos Camarões, à priori o seu principal concorrente na disputa do primeiro lugar, que dá acesso aos quartos-de-finais, além das congéneres das Ilhas Comores e da eSwatini, que vão procurar também dar o ar da sua graça.
Para esta empreitada, diz-se nos bastidores que o seleccionador nacional Srdjan Vasiljevic, propôs à Federação Angolana de Futebol (FAF) o nome de Mário Soares, técnico actualmente vinculado ao Clube Desportivo da Huíla (CDH), para orientar o combinado angolano.
Para já, não deixa de ser pertinente a proposta de Srdjan Vasiljevic, porquanto Mário Soares é um técnico que vem dando cartas no futebol nacional, mas, em primeira instância, cabo à direcção do emblema militar da Frente Sul, o parecer sobre a eventual cedência ou não do técnico, para os serviços da Selecção Nacional.
Oxalá que prevaleça, acima de tudo, o consenso o espírito de “fair-play”. Afinal de contas, está em jogo o prestígio do futebol nacional. Quadro do 1º de Agosto, o jovem técnico colocou o Desportivo da Huíla no Girabola em 2012 e cumpriu um estágio em Portugal na equipa do Vitória de Setúbal, da primeira liga portuguesa, além de outros feitos, que vem coleccionando a nível do nosso futebol.
É importante lembrar que o vencedor do Grupo A, joga, nos quartos-de-final, com o Zimbabwe, ao passo que do A, em que figuram a selecções de Moçambique, Namíbia, Malawi e Ilhas Seychelles, respectivamente, mede forças com a Zâmbia.
E a faltarem pouco mais de duas semanas, para o início desta prova regional, é imperioso que quer a FAF, quer a equipa técnica que venha a ser indicada para o efeito, comecem já esboçar, aquilo que vai ser a campanha do "Onze" Nacional. Não há tempo a perder...

Últimas Opinies

  • 07 de Abril, 2021

    Ida ao Mundial marcou o futebol

    Em 2018, a nossa selecção de futebol adaptado trouxe-nos o primeiro troféu de cariz Mundial, ao vencer o campeonato do Mundo.

    Ler mais »

  • 07 de Abril, 2021

    Ganhos que podem ir ao ralo

    A circulação de pessoas e bens, apesar das dificuldades das estradas, faz-se com segurança.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um toque ao desenvolvimento

    O país comemorou ontem mais um ano de paz. Foi a 4 de Abril de 2002 que a Nação angolana presenciou a cerimónia que marcou o fim de um período de guerra que deixou inúmeras cicatrizes.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Os ganhos da nossa vaidade

    Ao assinalarmos 19 anos, desde que o país começou a desfrutar do alívio que só a paz proporciona, não há como não reconhecer os ganhos havidos no sector desportivo neste lapso de tempo.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um retrocesso em alguns casos

    O desporto foi o grande embaixador do país, algumas modalidades assumiram-se como verdadeiros porta-estandartes, dado os feitos protagonizados por algumas selecções nacionais.

    Ler mais »

Ver todas »