Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Disputa da COSAFA

06 de Maio, 2019
A Selecção Nacional de futebol em honras volta estar, este mês, engajada em mais uma frente internacional. Trata-se da Taça COSAFA, uma prova em que Angola já ousou subir em três ocasiões, isto em 1999, 2001 e 2004, ao lugar mais alto do pódio.
O combinado angolano vai competir, entre 25 do mês em curso a 8 de Junho próximo, na cidade sul-africana de Durban, ao lado das congéneres dos Camarões, eSwatini (ex-Swazilândia) e Ilhas Comores, no Grupo A, conforme ditou o sorteio da prova.
Para já, é ponto assente que Angola vai se fazer presente, nesta montra de futebol da região austral do continente, com um grupo de jogadores, que não serão os que irão representar o país no Campeonato Africano das Nações (CAN) deste ano no Egipto. Contudo, não está posta de lado a integração de alguns dos convocados.
Nesse momento, o sérvio Srdjan Vasiljevic, seleccionador nacional de honras e seus mais directos colaboradores, estão focados no programa de preparação da 32ª edição do CAN, previsto para o período de 21 de Junho a 19 Julho próximos, daí o facto de se apostar num outro grupo de jogadores, para este torneio regional.
A COSAFA, que, na sigla traduzida em português, significa Conselho das Associações de Futebol da África Austral, é encarada pelo técnico sérvio como um torneio de carácter evolutivo, que permitirá observar a capacidade e potencial de jogadores para os futuros compromissos. Apesar de grande parte dos jogadores seleccionados para a Taça COSAFA não vão disputar o CAN, isso não significa que não venham a representar condignamente o país.
Pelo contrário, é uma prova em que Angola já subiu ao pódio e por isso tem obrigação de fazer boa figura. Agora não é menos verdade, que pela frente vai ter como adversários a forte selecção dos Camarões, à priori o seu principal concorrente na disputa do primeiro lugar, que dá acesso aos quartos-de-finais, além das congéneres das Ilhas Comores e da eSwatini, que vão procurar também dar o ar da sua graça.
Para esta empreitada, diz-se nos bastidores que o seleccionador nacional Srdjan Vasiljevic, propôs à Federação Angolana de Futebol (FAF) o nome de Mário Soares, técnico actualmente vinculado ao Clube Desportivo da Huíla (CDH), para orientar o combinado angolano.
Para já, não deixa de ser pertinente a proposta de Srdjan Vasiljevic, porquanto Mário Soares é um técnico que vem dando cartas no futebol nacional, mas, em primeira instância, cabo à direcção do emblema militar da Frente Sul, o parecer sobre a eventual cedência ou não do técnico, para os serviços da Selecção Nacional.
Oxalá que prevaleça, acima de tudo, o consenso o espírito de “fair-play”. Afinal de contas, está em jogo o prestígio do futebol nacional. Quadro do 1º de Agosto, o jovem técnico colocou o Desportivo da Huíla no Girabola em 2012 e cumpriu um estágio em Portugal na equipa do Vitória de Setúbal, da primeira liga portuguesa, além de outros feitos, que vem coleccionando a nível do nosso futebol.
É importante lembrar que o vencedor do Grupo A, joga, nos quartos-de-final, com o Zimbabwe, ao passo que do A, em que figuram a selecções de Moçambique, Namíbia, Malawi e Ilhas Seychelles, respectivamente, mede forças com a Zâmbia.
E a faltarem pouco mais de duas semanas, para o início desta prova regional, é imperioso que quer a FAF, quer a equipa técnica que venha a ser indicada para o efeito, comecem já esboçar, aquilo que vai ser a campanha do "Onze" Nacional. Não há tempo a perder...

Últimas Opinies

  • 20 de Janeiro, 2020

    Deixem a Marximina regressar

    Olhei para o tempo que já passou desde a suspensão da árbitra Marximina Bernardo, acabou penalizada pela Federação Angolana de Futebol (FAF), sobretudo porque, em minha opinião, este órgão hesita em não condescender exagerada decisão que então tomou, quando para “homens do apito” as punições quase que sabem a flores.

    Ler mais »

  • 20 de Janeiro, 2020

    Cartas dos Leitores

    O orçamento não varia muito dos anos anteriores. Podemos dizer que é ligeiramente superior a dois milhões de dólares por ano. Este é o valor que temos consagrado para o Sagrada Esperança.

    Ler mais »

  • 20 de Janeiro, 2020

    Regatas para Tquio

    Marcado por aceso despique, o Campeonato Africano de Vela nas classes 420 e 470, realizado de 13 a 18 do corrente mês na Contra-Costa da Ilha do Cabo, em Luanda, confirmou mais uma qualificação de Angola à maior montra desportiva do globo.

    Ler mais »

  • 18 de Janeiro, 2020

    Welwitschias voltam a dar o ar da sua graa

    Depois da “travessia do deserto” por que passou nos últimos tempos, obrigando a ficar inactiva, a Selecção Nacional de Futebol feminina pode testemunhar um novo ciclo no ano que dá ainda os seus primeiros passos.

    Ler mais »

  • 18 de Janeiro, 2020

    Futebol feminino busca resgate da mstica

    Já houve tempos que o futebol feminino era de facto uma festa cá entre nós, pois inflamava paixões e, de facto arrastava multidões.

    Ler mais »

Ver todas »