Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Disputa frrea

11 de Maio, 2019
A 29ª jornada e penúltima do Girabola Zap faz disputar, esta tarde, três jogos e um deles envolvendo duas equipas, que travam uma disputa férrea para assegurar a permanência.
É verdade. Quis o destino, que o Sporting de Cabinda e Atlético Sport Aviação (ASA) se reencontrassem hoje, num duelo que pode ser crucial e por isso os dois conjuntos batem-se ferreamente para a conquista dos três pontos.
Na discussão do título, 1º de Agosto e Petro de Luanda travam uma luta de titãs. Os militares assumem, nesse momento, a liderança do campeonato com 61 menos, e, portanto, mais um que o arqui-rival tricolor, que não lhe dá tréguas nessa batalha.
Nessa ronda, a equipa do “Rio Seco” tem, de certo modo, uma missão mais hercúlea do que a do “Catetão”, pois desloca-se ao Cuito, para visitar o aflito Cuando Cubango, que, em terras mártires do Bié, tem montado o seu quartel-general nessa época.
O Petro, por seu turno, recebe no 11 de Novembro a Académica do Lobito, que tem quase reconduzida a permanência na I Divisão, mais a mais agora com a anunciada despromoção do Kabuscorp do Palanca.
Grosso modo, a eventual queda do Kabuscorp pode aliviar, de certo modo, as equipas do Sporting de Cabinda e do Atlético Sport Aviação (ASA), que amanhã, no Estádio do Tafe, na cidade mais ao Norte do País, disputariam um jogo que poderia ser de “vida” ou “morte”, sobretudo para a turma do Aeroporto 4 de Fevereiro.
Agora o máximo que os Leões do Norte e os aviadores podem fazer, nessa altura, é acelerar a passada, para que o “aflito” Cuando Cubango FC, não os consiga alcançar na pontuação.
O Sporting soma, nesse momento, 28 pontos, contra 25 do seu oponente desta tarde, por isso vêem-se ainda pressionados pela equipa do Cuando Cubango, no que a luta a fuga à despromoção diz respeito.
Contudo, uma eventual vitória do ASA, esta tarde, sobre a turma cabindense e um deslize da formação das Terras do Progresso, amanhã frente ao D’Agosto, colocaria esta em definitivo de fora da edição do Girabola Zap de 2020.
Outro motivo também de interesse, nessa ponta final da maior prova do futebol, gira em torno do 3º lugar, que dá acesso à disputa das Afrotaças. O Clube Desportivo da Huíla (CDH), colocado, nesse momento, na referida posição com 46 pontos e que se desloca ao Huambo, para defrontar o Recreativo da Caála, e o Intefrclube, actual 4º com 41 e que joga amanhã no Dundo, Lunda Norte, com o Sagrada Esperança, apresentam-se como mais sérios candidatos a lograr esse desiderato.
De resto, nos outros duelos deste fim de semana e que opõem o Recreativo do Libolo ao Progresso do Sambizanga, por um lado, e o Saurimo FC ao Santa Rita de Cássia do Uíge, por outro, as equipas entram em campo mais com o claro propósito de cumprirem calendário, pois já têm a sua situação definida na presente temporada. Agora, resta é esperar que, em todos jogos, o “fair-play” assuma-se como um imperativo...


Últimas Opinies

  • 20 de Janeiro, 2020

    Deixem a Marximina regressar

    Olhei para o tempo que já passou desde a suspensão da árbitra Marximina Bernardo, acabou penalizada pela Federação Angolana de Futebol (FAF), sobretudo porque, em minha opinião, este órgão hesita em não condescender exagerada decisão que então tomou, quando para “homens do apito” as punições quase que sabem a flores.

    Ler mais »

  • 20 de Janeiro, 2020

    Cartas dos Leitores

    O orçamento não varia muito dos anos anteriores. Podemos dizer que é ligeiramente superior a dois milhões de dólares por ano. Este é o valor que temos consagrado para o Sagrada Esperança.

    Ler mais »

  • 20 de Janeiro, 2020

    Regatas para Tquio

    Marcado por aceso despique, o Campeonato Africano de Vela nas classes 420 e 470, realizado de 13 a 18 do corrente mês na Contra-Costa da Ilha do Cabo, em Luanda, confirmou mais uma qualificação de Angola à maior montra desportiva do globo.

    Ler mais »

  • 18 de Janeiro, 2020

    Welwitschias voltam a dar o ar da sua graa

    Depois da “travessia do deserto” por que passou nos últimos tempos, obrigando a ficar inactiva, a Selecção Nacional de Futebol feminina pode testemunhar um novo ciclo no ano que dá ainda os seus primeiros passos.

    Ler mais »

  • 18 de Janeiro, 2020

    Futebol feminino busca resgate da mstica

    Já houve tempos que o futebol feminino era de facto uma festa cá entre nós, pois inflamava paixões e, de facto arrastava multidões.

    Ler mais »

Ver todas »