Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinião

Disputa no topo

19 de Março, 2017
Depois do Kabuscorp estar à frente, à saída da jornada seis, em que bateu o Petro de Luanda, a liderança pode voltar às mãos da formação militar, caso esta vença hoje, no Dundo, o Sagrada Esperança, jogo a contar para a sétima jornada. Trata-se de um jogo que se reveste de extrema importância para Dragan Jovic e seus pupilos.

Afinal, dada a passada das equipas, neste início de campeonato, todas as oportunidades são para aproveitar ao limite, e limitar a margem de erro para manter vivas as aspirações. Aliás, regra comum, quem melhor aproveita no começo da prova, termina sempre melhor, já que não se submete à pressão de outras equipas que correm atrás da pontuação.

Estamos expectantes que outras equipas, sobretudo, as que se assumem como candidatas ao título entrem na corrida, de modo a que se confira ao torneio mais competitividade e consequentemente mais interesse. A luta não pode resumir-se a duas equipas, sobretudo, neste início de torneio. O cenário é admissível, lá mais para frente, quando as coisas começar a tomar definições.

A verdade, é que nem o Interclube, nem o Recreativo do Libolo, deram ainda o ar da sua graça. Quanto à turma da Polícia, a situação tem a ver com um arranque não muito prometedor, já vai com duas derrotas, e no que se refere à turma do Cuanza Sul, pode-se dizer que a inserção nas competições africanas de clubes tem de algum modo atrapalhado a sua campanha na prova doméstica.

E, o Petro de Luanda? O Petro ficou grandemente prejudicado com a derrota de sexta-feira, diante do Kabuscorp do Palanca. Todavia, não perdeu o comboio, é uma equipa com vigor e determinação suficiente para recuperar as posições perdidas, e voltar a estar entre as equipas da linha da frente. Diga-se de passagem, o começo do campeonato está interessante e recomenda-se.

Aliás, todos esperam que esta edição venha a superar a anterior, em termos de disputa e competitividade. Que venha a ser marcada por uma luta acérrima, até às últimas jornadas. Afinal, o que valoriza qualquer competição não é senão o nível de disputa, o que só é possível com equipas determinadas na consumação dos seus objectivos.

Últimas Opiniões

  • 11 de Dezembro, 2017

    Citações

    Foram muitas as razões que nos levaram a definir essa escolha, tal como o profissionalismo, a orientação técnica, conhecimento e experiência do futebol, compromisso com a formação, vontade de vencer, ser estudioso permanente do futebol e passar os seus conhecimentos aos treinadores nacionais.

    Ler mais »

  • 11 de Dezembro, 2017

    Crença e acalmia

    A família do futebol nacional deve por esta altura estar mais calma, depois da divulgação do novo seleccionador nacional pela Federação Angolana da modalidade, volvidos que foram os dias de incerteza, agora, com a missão de dirigir os Palancas Negras no seu primeiro compromisso do ano, o da fase final do CHAN que o Reino de Marrocos acolhe.

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2017

    São Silvestre é marca

    “Infelizmente, nos últimos tempos, mergulhados numa crise financeira sem precedentes, o desporto angolano vem pagando uma factura bastante pesada e, obviamente o atletismo não fica de parte.

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2017

    Cartas dos Leitores

    O futuro a Deus pertence, e se calhar vou terminar a minha carreira aqui no Maquis, e ser campeão nesta equipa.

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2017

    Vamos trabalhar

    O técnico deixou a entender que apesar de os objectivos para CHAN serem claros porém a sua ambição como técnico não se esgota nesta competição

    Ler mais »

Ver todas »