Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Distines de mrito

10 de Novembro, 2013
Trata-se, sem dúvida, de um sinal de grande reconhecimento do esforço conjugado por aqueles que permitiram atingir a meta inicialmente traçada, e que já vinha escapando há muito à popular agremiação do Palanca. O campeão teve uma época gloriosa, em que quase não teve oposição competitiva, fazendo o seu torneio sem quaisquer sobressaltos.

Ciente de que qualquer que seja a meta ou o sonho a atingir implica sempre consentimento de algum sacrifício, o grupo entregou-se com alma e dedicação ao trabalho, factor que levou à conquista do entrosamento e perfeição técnica que serviram de arma decisiva na competição, suplantando outras equipas que, no começo da prova, também se haviam assumido candidatas ao ceptro.

Este passo só foi possível porque reinou no grupo um apurado espírito de colectivismo que, aliado à disciplina implantada pela equipa técnica, só podia resultar numa equipa coesa, aguerrida e com mentalidade vencedora. Aquilo que na visão de algumas pessoas parecia fora de alcance, acabou por se tornar fácil, fácil, fácil e o objectivo inicial foi deixando de ser apenas uma mera intenção para se tornar em algo palpável.

A sua massa associativa delirou com a conquista. Cantou vitória e agradeceu a cada integrante da equipa pela voluntariedade evidenciada. Por tudo isso, age de boa-fé a direcção do clube com este gesto. Aqueles que trazem alegria aos adeptos bem merecem alguma compensação, ainda que saibamos que não há dinheiro que compense o suor destilado em defesa de certos interesses.

Mesmo que aos diplomas se acresçam valores monetários, estes ficam sempre longe de compensar a bravura dos rapazes que encantaram e deixaram na prova o recado de alerta de que uma nova força futebolística emerge no nosso campeonato para desequilíbrio da balança de campeões. Mas como os angolanos jamais fizeram luta pelo dinheiro, temos apenas de enaltecer a posição do Kabuscorp do Palanca. Os prémios em regra valem mais pelo gesto e não tanto pelo valor financeiro que possam envolver.

Vamos esperar que, na Liga dos Campeões, venham estes jogadores a evidenciar mais combatividade, para que o país esteja melhor representado em relação às edições anteriores. Aliás, Bento Kangamba promete a melhor classificação de todos os tempos. E como quem assim fala gago não é, resta aguardar para ver…

Últimas Opinies

  • 17 de Agosto, 2019

    Girabola Zap periclitante

    A festa do futebol está de regresso. Com o retorno do Campeonato Nacional da I Divisão, vulgo Girabola Zap 2019/2020, a alegria do povo volta à ribalta e com ela a euforia, a competitividade.

    Ler mais »

  • 17 de Agosto, 2019

    De volta a febre pelo futebol!...

    Para a alegria dos seus aficionados, está de regresso a maior festa futebol nacional, o Girabola Zap. Uma prova que inflama paixões e leva alegria para os vários estádios espalhados pelo país.

    Ler mais »

  • 17 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Estamos mais preocupados com a integração dos novos atletas  e perceber qual o momento desportivo e a partir daqui,  entrar numa outra fase de desenvolvimento e novamente.

    Ler mais »

  • 17 de Agosto, 2019

    Baptismo do Wiliete

    Depois da abertura ontem da 42ª edição do Campeonato Nacional de Futebol da I Divisão, vulgo Girabola Zap, com o jogo Clube Desportivo da Huíla (CDH) - FC Bravos do Maquis.

    Ler mais »

  • 15 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Se até agora estivéssemos com as estratégias todas consolidadas, com os atletas em boa forma física e excelente dinâmica, podia também nalguns casos.

    Ler mais »

Ver todas »