Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Domnio militar

23 de Junho, 2016
A festa do andebol tem um protagonista que dá cartas, e ao que tudo indica, será a principal figura até ao fim.

O 1º de Agosto faz jus ao estatuto de campeão nacional de andebol, nas duas classes. Os números não mentem e indicam que a agremiação militar é até agora, superior às demais, embora, se observem alguns focos de resistência da parte de outras agremiações, como o Petro de Luanda.

A formação dá cartas na competição feminina, embora sofresse um susto no último confronto com a jovem equipa petrolífera, que de acordo com o seu treinador, está a ser penalizada pelo facto de algumas das suas jogadoras terem ligações com a selecção nacional júnior, que vai disputar o mundial da categoria na Rússia.

Ainda assim, o Petro de Luanda mostra que está a montar uma equipa para o futuro, com vista a pôr fim à actual hegemonia das rivais militares, que transportaram o domínio para o contexto africano, em que dominam e são sem qualquer sombra de dúvida, o melhor conjunto do continente.

O jogo mais equilibrado que o 1º de Agosto teve até ao momento, foi exactamente com a formação do Catetão, porque os restantes foram disputados quase ao ritmo de treino, com resultados desnivelados.

Ainda assim, o Nacional é um bom palco em que se pode observar o trabalho que se faz ao nível dos clubes, nos diversos pontos do país, particularmente em praças tradicionais como a província de Benguela, onde o Electro de Lobito e a Casa do Pessoal do Porto do Lobito mostram que por aquelas paragens há trabalho, que pode engrandecer o andebol nacional. Interessante é também a participação do ASA e da Marinha de Guerra, enquanto o Progresso do Sambizanga não quer ficar como terceira equipa a nível nacional, e investe para chegar mais longe.

Em masculino, e quando há uma final entre militares e polícias à vista, o 1º de Agosto tem de defender o título porque tem tudo para chegar à final. Militares e polícias são os conjuntos mais poderosos em prova, e é preciso não esquecer, que a turma do Interior deixou fugir na estreia uma vitória, que parecia segura sobre a turma militar, com erros sucessivos que certamente vão evitar se chegarem à fase derradeira da competição, no dia em que seja coroado o novo campeão nacional.

Últimas Opinies

  • 22 de Agosto, 2019

    O divrcio anunciado

    Não faz ainda muito tempo do anúncio do divórcio, entre o órgão reitor do futebol nacional e o então seleccionador nacional de honras, o sérvio Srdjan Vasiljevic, que ontem deixou o país.

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Corrigir o mal no futebol (I)

    A semana passada terminei o artigo com a seguinte sentença: “(…) é importante mudar de estratégia

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Mais um falso arranque do Interclube

    Para o desalento dos prosélitos do futebol sénior masculino, as cortinas do Girabola Zap, versão 2019/20, foram descerradas com máculas na jornada inaugural que, mais uma vez, põem em causa a capacidade organizativa da Federação Angolana de Futebol (FAF), que parece apostada numa competição em que é premiada a instituição que mais erros comete ao longo do “consulado”.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O pas dos amigalhaos

    Foi recentemente anunciada a rescisão contratual do treinador Srdjan Vasilevic com a Federação Angolana de Futebol.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

Ver todas »