Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Dupla vitria militar

11 de Julho, 2016
Tal como na primeira, o 1º de Agosto começou a segunda volta com o pé direito, ou seja, com uma dupla vitória: a conquista dos três pontos e a vitória sobre um concorrente directo na luta pelo título do Girabola Zap, que entrou no fim de semana na sua fase decisiva.Nesta etapa, falhar é quase proibido e todos lutam para concretizar aquilo que foram os objectivos traçados à partida. A vitória sábado sobre o Benfica de Luanda, num jogo em que ficou marcado pela má actuação do árbitro António Dungula, que validou um golo marcado por Epson, com a mão, abre boas perspectivas para 1º de Agosto que aposta tudo neste ano para o regresso aos títulos.

Os três pontos permitiram aos militares aliviar a pressão que havia sido exercida pelo Recreativo do Libolo, horas antes, após vitória sobre o 1º de Maio, o que reduziu, à condição, o fosso pontual para dois pontos (35-33), antes de militares e encarnados se defrontarem. Após o jogo grande da jornada, a equipa do Rio Seco voltou a colocar tudo na mesma, ou seja, a restabelecer a diferença pontual para cinco (38-33).

A caminhar assim como começou esta segunda volta ou fazer o mesmo percurso da primeira, dificilmente o 1º de Agosto verá escapar o título desta edição do Girabola, sendo, por isso, um forte candidato à sucessão do campeão em título, o Recreativo do Libolo.É claro o que se diz aqui é uma mera previsão. A resposta a uma eventual inquietação se, de facto, este é o ano dos militares, caberá ao tempo responder. Contudo, ninguém pode negar que a equipa de Dragan Jovic, nos últimos dois anos, reforçou-se no máximo da sua força para recuperar um título que não ostenta há cerca de 10 anos.

Mas importa frisar que 1º de Agosto não está sozinho na corrida pelo título. Ainda assim, os adeptos estão expectantes e acreditam que desta vez as coisas podem se concretizar. Onde vão buscar tanto optimismo, só eles mesmo podem dizer, pois não é a primeira vez que a equipa rubro e negra tem um começo do género e depois um fim dramático.

Apesar de um acentuado aumento em termos de investimentos, desde que Carlos Hendrick chegou para presidir este que é um dos mais emblemáticos clubes do país, nem por isso na prática, neste mesmo período, as coisas têm correspondido com aquilo que tanto se gasta para potenciar a equipa de futebol.

Recreativo do Libolo, Petro de Luanda, Kabuscorp do Palanca, Interclube e Benfica de Luanda manifestam-se dispostos a lutar até ao fim para o mesmo objectivo. Mas por enquanto quem manda no campeonato e depende apenas de si para no final fazer a festa da consagração é mesmo o 1º de Agosto. A ver vamos qual vai ser o desfecho da competição.

Últimas Opinies

  • 23 de Março, 2019

    Agora que venha o CAN do Egipto!

    Que venha agora o CAN do Egipto! Sim, que  venha o Campeonato Africano das Nações porque a fase de qualificação ficou já para atrás. 

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Cartas dos Leitores

    Estou aqui para trabalhar. É uma realidade nova para mim. Nunca estive em África.

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Angola est no Egipto

    O país acordou, hoje, na ressaca da explosão festiva resultante da qualificação da selecção nacional de futebol, ao Campeonato Africano das Nações, a disputar-se em Junho e Julho, no Egipto.

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Amanh um "tudo ou nada

    Amanhã é uma espécie de Dia D, para nós, e tal fica a dever-se aos ‘’Palancas Negras’’

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Um regresso depois de quase dez anos

    Volvidos quase dez anos, volto a assumir uma missão como enviado especial do Jornal dos Desportos, título para o qual escrevo desde o ano de 1997, e que nesse momento assumo o cargo de editor, depois de já ter sido sub-editor e correspondente provincial.

    Ler mais »

Ver todas »