Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

para ganhar

09 de Dezembro, 2013
As atenções dos amantes do andebol nacional voltam a estar hoje viradas para a cidade sérvia de Zrenjani, onde a selecção sénior feminina joga com a sua congénere do Paraguai, para a segunda jornada do Grupo C da primeira fase da prova. É, a bem dizer, um jogo a não perder. Pois, o desfecho do mesmo pode deixar já algumas indicações claras sobre a sorte do combinado nacional na prova.

Por tudo isso, trata-se de um duelo que deve ser encarado com o maior sentido de responsabilidade pelos comandados de Vivaldo Eduardo, em que não devem ter lugar erros capazes de comprometer as aspirações. Há que jogar como no primeiro jogo em que a determinação e o sentido de responsabilidade estiveram em evidência.

É nossa convicção que a equipa trabalhou nos dias que antecederam a prova no aperfeiçoamento dos principais fundamentos de jogo, sendo capaz de se apresentar hoje com um andebol adulto, alegre, vistoso e acima de tudo concentrada na defesa. No jogo de hoje, interessa apenas a vitória.
Só a vitória, que até está ao nosso alcance, relança as probabilidades de qualificação para a fase seguinte, já que outro resultado, mesmo não determinando o fracasso, não deixa de ser comprometedor para as nossas aspirações. É preciso ganhar, para que os jogos seguintes possam ser encarados sem qualquer espécie de pressão.

É evidente que as adversárias não facilitam. Numa fase final que agrupa selecções que lograram melhores colocações classificativas na fase de apuramento não se acham adversários fáceis, e a vitória nos jogos resulta, em regra, da capacidade de tirar proveito das oportunidades criadas e dos erros que o adversário possa eventualmente cometer.

Aliás, disso temos o exemplo no jogo passado, em que foi no aproveitar que Angola chegou a ganhar com a margem de diferença pontual com que ganhou. Ou seja, dez pontos. Veja-se também que o Paraguai é um adversário relativamente inferior a Angola, embora, como é de esperar, vá entrar em campo motivado e com o mesmo objectivo de ganhar e seguir em frente.

Pensamos que Angola tem apenas de se preocupar consigo mesma. Fazer o seu jogo de forma metódica e calculista sem temer o adversário. O espírito de jogo tem de ser o mesmo evidenciado diante da Argentina, em que as campeãs africanas foram superiores em todos os aspectos, tal como espelha o resultado.

Em suma, é desejo de todos os angolanos ver, quando encerrar a jornada de hoje, a sua selecção pontuar, de modo que se sinta motivada para encarar o resto da competição em que afinal nem tudo são rosas a julgar pela expressão dos outros concorrentes. Para o efeito, Vivaldo Eduardo e pupilas não estão sós. Hão-de contar com o apoio de todos os angolanos que, à distância, vão na mesma procurar transmitir o seu calor à equipa nacional.

Vamos esperar que tudo corra bem. Aliás, mesmo sabendo que as nossas pérolas não aspiram ao título mundial, mas estão na contingência de mostrar a qualidade do seu jogo, não sejam elas as campeãs de África. Os tropeços podem surgir, mas convinha que não fosse já na primeira fase. E pensamos que este é o sentimento da equipa técnica e de todas as atletas.

Últimas Opinies

  • 23 de Março, 2019

    Agora que venha o CAN do Egipto!

    Que venha agora o CAN do Egipto! Sim, que  venha o Campeonato Africano das Nações porque a fase de qualificação ficou já para atrás. 

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Cartas dos Leitores

    Estou aqui para trabalhar. É uma realidade nova para mim. Nunca estive em África.

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Angola est no Egipto

    O país acordou, hoje, na ressaca da explosão festiva resultante da qualificação da selecção nacional de futebol, ao Campeonato Africano das Nações, a disputar-se em Junho e Julho, no Egipto.

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Amanh um "tudo ou nada

    Amanhã é uma espécie de Dia D, para nós, e tal fica a dever-se aos ‘’Palancas Negras’’

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Um regresso depois de quase dez anos

    Volvidos quase dez anos, volto a assumir uma missão como enviado especial do Jornal dos Desportos, título para o qual escrevo desde o ano de 1997, e que nesse momento assumo o cargo de editor, depois de já ter sido sub-editor e correspondente provincial.

    Ler mais »

Ver todas »