Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Ebulio no Girabola

20 de Setembro, 2016
O Girabola continua a dominar as atenções da praça futebolística nacional, sobretudo agora, que toma a recta para o desfecho. A 24ª jornada deixa-nos a seis rondas do final, e se olharmos para o gráfico classificativo das equipas, depreende-se que nem tudo foi um mar de rosas. Para o título ou para a não descida de divisão, augura-se uma batalha campal pela frente.

A restar ainda muitos pontos a conquistar, o certo é que a ponta final do certame não corre a contento para certas equipas, que vêem o cerco cada vez mais apertado. Há muitas em piores condições classificativas. Aliás, ao que tudo indica, o Porcelana do Cuanza Norte já está mais para lá do que para cá, não é nenhum exagero dizer-se o mesmo, a Académica do Lobito.

De momento, para estas equipas pouco ou nada há mais a fazer, embora, a esperança seja sempre a última a morrer. A programação e intensificação de treinos, o trabalho psicológico aos jogadores, são medidas que podiam ser analisadas pelas equipas técnicas e pelas direcções, para ajudarem a mudar o quadro da maneira mais favorável. Mas vamos já tarde demais.

Por exemplo, o facto do Porcelana estar nesta altura a ocupar a última posição na tabela classificativa ,espelha o que vai mal nessa equipa, que na segunda divisão foi das mais regulares, logrou o apuramento ao Girabola por mérito próprio. Em boa verdade, a equipa de Ndalatando está a fazer um percurso inverso ao que fez no apuramento.

É deplorável, que depois de despromovida em 2014, tenha feito tudo para ascender no ano seguinte, volte aos palcos do escalão inferior. O Girabola tem a particularidade de promover a vida económica das províncias nele representadas. Pelo menos dá para constatar que os fins de semana em que a equipa joga em Ndalatando ganha vitalidade, outro ambiente, porque o futebol tem esse lado de levar a festa ao povo.

No topo da tabela classificativa a luta também é titânica. Claro está, que o 1º de Agosto vai de vento em popa, com uma pontuação mais sólida e estável, perde o campeonato se revelar irresponsabilidade competitiva, incompreensível. Na luta estão outro gurús, que acreditam na superação de pontos que dão vantagem à equipa do "Rio Seco". O Libolo e o Petro de Luanda estão no encalço.

É evidente, que com o resultado de domingo, o 1º de Agosto facilitou a empreitada. Ainda assim, não tem motivos para bater palmas, porque as outras equipas não arredam pé, na luta pelo objectivo traçado. O Libolo, enquanto campeão em título, acredita na revalidação, ao passo que o Petro quer reaver os tempos de glória. Portanto, há uma forte tensão no topo, que só é desfeita, no caso do líder somar os pontos que lhe conferem tranquilidade absoluta.

Últimas Opinies

  • 15 de Julho, 2019

    O real papel do gestor desportivo

    As funções de um gestor desportivo não são mais do que as funções de um gestor de empresas, adaptadas e ajustadas às particularidades de um clube ou federação desportiva.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Quem explica o desporto angolano?

    O nosso desporto merece um estudo profundo, para se encontrar explicações que justifiquem os resultados que vai tendo.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    No nosso grupo (A),  somos a única selecção (Angola) que tem a sua primeira participação  a este nível. Canadá vai para a sua sétima, Nova Zelândia.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Objectivo falhado

    Angola não conseguiu alcançar o objectivo preconizado no Mundial de Hóquei em Patins, que se disputou em Barcelona, Espanha, acabando por se quedar na sexta posição.

    Ler mais »

  • 13 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    Vamos entrar para o campeonato em cada jogo para ganhar, nós queremos começar bem, com o pé direito. Como sabem, já temos o calendário.

    Ler mais »

Ver todas »