Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Em busca da honra

20 de Outubro, 2018
As equipas angolanas seniores femininas do 1º de Agosto, actual detentora do troféu, e do Petro de Luanda, entram hoje em acção na 40ª edição da Taça dos Clubes Campeões Africanos de Andebol, que tem como palco a capital da Costa de Marfim, Abidjan. Os dois conjuntos buscam a honra, em mais esta grande montra da modalidade a nível continental.
A formação militar, às ordens de Morten Soubak, integra o Grupo B, ao lado do FAP dos Camarões, das anfitriãs do África Sport da Costa do Marfim, assim como da turma HC Vainqueur, da República Democrática do Congo (RDC).
O Petro, sob comando do professor Vivaldo Eduardo, por seu turno, vai enfrentar, no Grupo A, equipas como as o Abo Sport do Congo-Brazzaville, Bandama da Costa do Marfim, Dinamique dos Camarões, assim como as congolesas-democráticas da HC Heritage.
O D\'Agosto, com é obvio, espreita a revalidação da taça conquistada na edição passada. Para o efeito, o técnico dinamarquês , que ambiciona a conquista, pelo emblema militar, do quarto título continental, conta com um reforço de peso, para atacar este “africano” de clubes.
Trata-se da experiente Natália Bernardo, que várias vezes se consagrou como melhor jogadora desta prova de andebol em seniores femininos.
Morten Soubak vai contar, ainda, no xadrez da equipa, com Ruth João, que representou a Marinha de Guerra.
De fora, para este “africano” de clubes de Abidjan, ficam a lesionada Dalva Peres e Isabel Guialo, que apesar ter envergado a camisola do emblema militar à temporada passada, transferiu-se para o andebol europeu.
Já as petrolíferas, assinalam um regresso à competição, depois de, em 2015, terem abandonado a edição de Nador, no Marrocos, em que contavam com os concursos da brasileira Monic Bacilon e da sérvia Jovana Petrovic.
Para este empreitada da capital costa-marfinense, o técnico Vivaldo Eduardo vai contar com jogadoras como Edith Bunga para o lugar da lesionada Ríssia Oliveira, assim como com a guarda-redes Aminata Kanka, que representou as cores do Atlético Sport Aviação (ASA), a meia-distância Manuel Paulino e a ponta Delfina Santos.
No entanto, tal e qual como o 1º de Agosto, o Petro de Luanda, espreita igualmente a conquista desta 40ª edição da Taça dos Clubes Campeões Africanos de Andebol.
Aliás, coleccionando, nesse momento, 19 troféus na sua galeria, sendo, por sinal, a equipa mais titulada do continente, outra coisa não se podia esperar da equipa do “eixo-viário”.
Os angolanos esperam, efectivamente, uma atitude ousada das suas representantes, nesta grande festa do andebol continental de Abidjan.
E que assim, de facto, seja, para gáudio dos prosélitos da modalidade, em que Angola assume a hegemonia continental a nível do sector feminino!!!...

Últimas Opinies

  • 19 de Março, 2020

    Escaldante Girabola

    O campeonato nacional de futebol da primeira divisão vai dobrando os últimos contornos. A presente edição, amputada face a desqualificação do 1º de Maio de Benguela, abeira-se do seu fim . Entretanto, do ponto de vista classificativo as coisas estão longe de se definirem. No topo, o 1º de Agosto e o Petro travam uma luta sem quartel pelo título.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Cartas dos leitores

    Estamos melhor do que nunca. A pressão é para as pessoas que não têm arroz e feijão para comer. Estamos sem pressão, temos todos bons salários e boas condições de trabalho. Estamos numa situação de privilégio e até ao último jogo tivemos apenas duas derrotas.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Jogos Olmpicos2020

    A suspensão de diferentes competições desportivas a nível mundial em função do coronavírus, já declarada pela OMS-Organização Mundial da Saúde como Pandemia, remete-nos, mais uma vez, a reflectir sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Pelo menos até aqui, o COI-Comité Olímpico Internacional mantém de pé a ideia de realizar o evento nos prazos previstos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    FAF aquece com eleies

    Cá entre nós, o fim do ciclo olímpico, tal com é consabido, obriga, por imperativos legais, por parte das Associações Desportivas, de um modo geral e global, a realização de pleitos eleitorais para a renovação de mandatos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    Cartas dos Leitores

    Acho que o Estado deve velar por essas infra-estruturas.

    Ler mais »

Ver todas »