Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Em busca da honra

07 de Dezembro, 2019
Depois de se estrearem há uma semana na presente edição da fase de grupos da Liga dos Campeões Africanos, os dois “embaixadores angolanos” na maior prova do futebol continental voltam a estar em acção neste sábado em mais uma ronda do certame.
Desta vez o 1º de Agosto e o Petro de Luanda, que medem forças com o Zamalek do Egipto e União Sportive Medina (USM) da Argélia, respectivamente para segunda jornada dos Grupos A e C, alternam os cenários em relação a primeira ronda.
Os militares que sábado último estrearam-se em casa com empate (1-1) frente ao Zesco United da Zâmbia, deslocam-se agora ao Cairo para enfrentar a equipa egípcia, ao passo que os tricolores que perderam por 0-3 com o Mamelodi Sundowns da África do Sul, em Pretória, tem agora a chance de redimir-se como anfitriões frente à turma argelina.
É verdade que quer o D’Agosto, quer o Petro, cruzam com equipas da zona do Magreb, cujo fio do jogo, regra geral, assenta-se num ‘futebol matreiro’, rápido e em muitos casos aliando isso à característica de adormecer os adversários de ocasião.
Não obstante esta predominância que impera, em muitos casos, na actuação das equipas da também designada “África Branca”, os factores evocados não podem servir de desculpa para os angolanos jogarem a toalha ao tapete em antecipação.
Antes pelo contrário, tanto a equipa militar do “Rio Seco”, como a petrolífera do “Eixo-Viário”, têm que fazer jus aos seus pergaminhos para, efectivamente, não bandeirar em arco com as formações do Magreb, particularmente nessa ronda, em que enfrentam o Zamalek do Egipto e o USM da Argélia. E isto só consumará, se ambas demonstrarem no confronto com os “grandes” que também podem se tornar “grandes”.
Noves fora essas conjectura-se que fazem, estamos em crer que tanto o 1º de Agosto, como Petro, podem surpreender os seus adversários da segunda ronda.
Os militares, às ordens do bósnio Dragan Jovic, que já se encontram desde quarta-feira no Egipto, vão procurar aproveitar o momento menos bom do Zamalek no campeonato local e bem assim como a derrota deste na estreia desta fase de grupos, para tirar alguma contrapartida desses factores. É verdade que o desaire de 0-3 em Lubumbashi frente ao Tout Puissant Mazembe da República Democrática do Congo (RDC) acaba por ferir, de certo modo, a equipa do Magreb, mas ainda assim tal como o D’Agosto, vai tentar fazer um bom resultado e, vai daí, o grau de dificuldades que se antevê para os agostinos.
Já o Petro, que, curiosamente, também levou “chapa 3” no reduto do Mamelodi Sundowns, um seu “velho conhecido” e que na sua estreia oficial nesta Liga dos Campeões em 2001 o afastou nas meias-finais desta competição, na lotaria das grandes penalidades, por 3-5, vai tentar alcançar a primeira vitória frente ao USM da Argélia.
Os argelinos, que consentiram empate a um tento em casa frente ao Wydad de Casablanca do Marrocos, estão em Luanda com propósito de tentar fazer uma gracinha diante do Petro e daí antever-se uma luta renhida entre ambos. De resto, é ponto assente que depois do empate e derrota consentidas pelo 1º de Agosto e Petro, nesta ronda ambos correm para recuperar algum terreno e acima em busca da honra na prova.

Últimas Opinies

  • 07 de Abril, 2021

    Ida ao Mundial marcou o futebol

    Em 2018, a nossa selecção de futebol adaptado trouxe-nos o primeiro troféu de cariz Mundial, ao vencer o campeonato do Mundo.

    Ler mais »

  • 07 de Abril, 2021

    Ganhos que podem ir ao ralo

    A circulação de pessoas e bens, apesar das dificuldades das estradas, faz-se com segurança.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um toque ao desenvolvimento

    O país comemorou ontem mais um ano de paz. Foi a 4 de Abril de 2002 que a Nação angolana presenciou a cerimónia que marcou o fim de um período de guerra que deixou inúmeras cicatrizes.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Os ganhos da nossa vaidade

    Ao assinalarmos 19 anos, desde que o país começou a desfrutar do alívio que só a paz proporciona, não há como não reconhecer os ganhos havidos no sector desportivo neste lapso de tempo.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um retrocesso em alguns casos

    O desporto foi o grande embaixador do país, algumas modalidades assumiram-se como verdadeiros porta-estandartes, dado os feitos protagonizados por algumas selecções nacionais.

    Ler mais »

Ver todas »