Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Emoes do BIC Basket

17 de Novembro, 2016
As emoções no basquetebol doméstico estão de volta. Joga-se a XXXIX edição do Campeonato Nacional seniores masculino de basquetebol, vulgo BIC Basket, que arrancou na passada terça-feira com a participação de nove equipas.

Os jogos voltam assim a fazer parte do cardápio de diversões dos aficcionados do desporto nacional. Numa altura em que o Girabola regista o seu defeso, em boa altura teve início a principal competição de uma das modalidades mais medalhadas do desporto angolano a nível do continente africano.

Com três equipas assumidas como candidatas ao título, por sinal as mesmas dos últimos anos, nomeadamente 1º de Agosto, Recreativo do Libolo e Petro de Luanda, as demais vão lutar para dar equilíbrio à prova e causarem algumas surpresas já que não têm estofo competitivo para entrarem na peleja pelo cobiçado "anel".

Os militares vão ter de se aplicar a fundo para a revalidação do título conquistado no ano passado, já que petrolíferos e libolenses estão dispostos a resgatarem a coroa que já lhes pertenceu antes da equipa do Rio Seco ter conseguido tal o desiderato na última época.

A bola ao cesto volta, desta maneira, a animar os pavilhões. Por aquilo que foi a amostra na temporada passada, esperam-se por jogos renhidos entre os três grandes, embora as equipas do segundo campeonato prometem não deixar os seus créditos em mãos alheias.

1º de Agosto e Petro de Luanda são os emblemas com mais títulos conquistados, quer a nível do campeonato nacional, quer da Taça de Angola. O Recreativo do Libolo apesar de ter emergido nos últimos cinco anos e ser a terceira força, trabalha para assumir a hegemonia do basquetebol nacional.

Os três têm no plantel atletas de elevada qualidade técnica e são detentores de um jogo um colectivo muito forte, sendo que quando se defrontam é quase imprevisível saber quem levará a melhor. Com isso, queremos dizer que qualquer uma pode sair vitoriosa nos jogos entre si.

É esta imprevisibilidade que dá emoção ao jogo e mobiliza os adeptos para estarem junto das suas equipas. Espera-se, por isso, que as demais agremiações possam dar boa réplica a estes grandes, dificultando o máximo os jogos e vendendo muita cara a sua derrota, uma vez que têm poucas hipóteses de vencer a partida.

O Interclube, o ASA e o Progresso Associação Sambizanga são as equipas mais capazes para dar uma boa réplica aos três candidatos. Já o Vila Clotilde, a Marinha de Guerra, Universidade Lusíadas e o Sporting de Benguela vão procurar não ficar muito longe daquelas que são tidas como as de segundo plano logo a seguir aos principais favoritos.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »