Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Emoes do BIC Basket

06 de Março, 2016
O BIC Basket apesar de estar na segunda volta da fase regular, já deu para ver que afora o trio habitual dos últimos anos, não há mais equipas com pujança para entrar na luta pelo título. O Petro de Luanda, o Recreativo do Libolo e o 1º de Agosto são as três equipas que entre si se batem pelo lugar cimeiro da prova.

Os petrolíferos da capital, na qualidade de campeões nacionais, não deixaram os seus créditos em mãos alheias e infligiram a primeira derrota aos militares do Rio Seco, até então líderes invictos do campeonato. Numa altura em que o 1º de Agosto atravessa um bom momento, o Petro surpreendeu-o com uma vitória convincente de dez pontos (85-75).

Ao surpreender tudo e todos na última edição, o Petro de Luanda não obstante o início titubeante volta a dar mostra que pretende a defesa do título com "unhas e dentes". Com este triunfo parecer afirmar que está no campeonato para revalidar o título, a equipa tricolor faz elevar ainda mais o nível de competitividade que se espera na prova.

O trio mostra que as equipas estão mais ou menos equilibradas e que o título não será coisa fácil para qualquer dos três. Ou seja, para este BIC Basket teremos os mesmos candidatos a chamarem a si as atenções, embora não se seja de descurar uma eventual surpresa do Interclube que há muito sonha com o primeiro título na competição.

Para esta batalha é quase certo que militares, libolenses e petrolíferos, não necessariamente por essa a ordem, sejam os que mais garantias oferecem para chegar ao fim da época e erguerem o cobiçado troféu que permite embolsar alguma vantagem financeira no campeão nacional.

Lazare Adingono, pelo Petro de Luanda, Ricardo Casas, pelo 1º de Agosto e Norberto Alves, pelo Recreativo do Libolo, por sinal estrangeiros, vão igualmente travar uma "batalha" ferrenha no intuito de mostrar quem tem os melhores métodos e argumentos de treino e as melhores estratégias de jogo. O camaronês naturalizado americano, o espanhol e o português vão ter de colocar o "know-how" ao serviço das suas equipas para concretizarem o grande objectivo.

Até à fase final, muito ainda pode acontecer. As duas outras equipas a seguir aos candidatos, Interclube e ASA podem ser verdadeiros desmancha - prazeres e complicar a vida daqueles que têm as grandes ambições. Enquanto isso, vivamos as emoções do nosso basquetebol.

Últimas Opinies

  • 15 de Julho, 2019

    O real papel do gestor desportivo

    As funções de um gestor desportivo não são mais do que as funções de um gestor de empresas, adaptadas e ajustadas às particularidades de um clube ou federação desportiva.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Quem explica o desporto angolano?

    O nosso desporto merece um estudo profundo, para se encontrar explicações que justifiquem os resultados que vai tendo.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    No nosso grupo (A),  somos a única selecção (Angola) que tem a sua primeira participação  a este nível. Canadá vai para a sua sétima, Nova Zelândia.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Objectivo falhado

    Angola não conseguiu alcançar o objectivo preconizado no Mundial de Hóquei em Patins, que se disputou em Barcelona, Espanha, acabando por se quedar na sexta posição.

    Ler mais »

  • 13 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    Vamos entrar para o campeonato em cada jogo para ganhar, nós queremos começar bem, com o pé direito. Como sabem, já temos o calendário.

    Ler mais »

Ver todas »