Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Empatia na Seleco

07 de Junho, 2017
A Selecção Nacional de andebol sénior feminina encontra-se desde ontem em Portugal, para em Vila Nova de Gaia cumprir um estágio pré-competitivo, com vista o Campeonato do Mundo da Alemanha, em Dezembro. A equipa às ordens do dinamarquês Morten Souback busca naquela região mais empatia entre o novo seleccionador e as atletas.

O programa de estágio contempla jogos com a campeã mundial e europeia, a Noruega, e vai permitir a Morten Souback interagir melhor com quem pode contar em Dezembro, por alturas do Mundial. Por tratar-se de uma nova equipa técnica, parece-nos bem-vindo o micro-estágio, não obstante os momentos de aperto financeiro que vivem as Federações nacionais.

Depois do brilharete nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em que Angola chegou pela primeira vez aos quartos-de-final, melhorar a performance no Campeonato do Mundo é o grande objectivo. Aliás, não foi por mero acaso que se contratou o dinamarquês Morten Souback, detentor de uma folha de serviço impressionante e que ajudou o Brasil a erguer o troféu de campeã mundial em 2013. A meta é a de aproximar o país dos lugares do pódio.

Dona e senhora do andebol feminino em África, a Selecção Nacional procura tudo fazer para reluzir também fora dos palcos africanos. Manter o percurso glorioso representa, indubitavelmente, o objectivo primário da Federação Angolana de Andebol.

O técnico Morten Souback que se estreia à frente do seleccionado angolano, define a estratégia que vai permitir às angolanas conservar o orgulho de serem as \"sorvedouras\" do andebol continental, e também de irem um pouco mais além fora de África.

Para este primeiro contacto, o programa esboçado pelo seleccionador nacional contempla dois jogos com a Noruega, nos dias 10 e 12, o que pode permitir a Souback fazer mais anotações para o trabalho a realizar posteriormente, até por alturas do Campeonato do Mundo, já que o micro -estágio vai até o dia 13 do corrente.

É bom saber que nesta preparação intercalada, a Federação tem praticamente criadas todas as condições para as etapas subsequentes. Após o estágio em Portugal, as campeãs africanas voltam a concentrar-se em Agosto, com a participação em dois torneios no Japão. Segue-se a última etapa, em Novembro, e também está garantida a presença num outro torneio que vai decorrer em Paris.

Pensamos que a programação deve permitir ao seleccionador montar a estratégia necessária para levar as campeãs africanas a um desempenho acima da média, no Campeonato do Mundo da Alemanha, em Dezembro, cujo objectivo é colocar Angola entre as cinco/seis primeiras posições, depois do sétimo lugar alcançado por Jerónimo Neto \"Jójó\", em França, em 2007.

Últimas Opinies

  • 19 de Março, 2020

    Escaldante Girabola

    O campeonato nacional de futebol da primeira divisão vai dobrando os últimos contornos. A presente edição, amputada face a desqualificação do 1º de Maio de Benguela, abeira-se do seu fim . Entretanto, do ponto de vista classificativo as coisas estão longe de se definirem. No topo, o 1º de Agosto e o Petro travam uma luta sem quartel pelo título.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Cartas dos leitores

    Estamos melhor do que nunca. A pressão é para as pessoas que não têm arroz e feijão para comer. Estamos sem pressão, temos todos bons salários e boas condições de trabalho. Estamos numa situação de privilégio e até ao último jogo tivemos apenas duas derrotas.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Jogos Olmpicos2020

    A suspensão de diferentes competições desportivas a nível mundial em função do coronavírus, já declarada pela OMS-Organização Mundial da Saúde como Pandemia, remete-nos, mais uma vez, a reflectir sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Pelo menos até aqui, o COI-Comité Olímpico Internacional mantém de pé a ideia de realizar o evento nos prazos previstos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    FAF aquece com eleies

    Cá entre nós, o fim do ciclo olímpico, tal com é consabido, obriga, por imperativos legais, por parte das Associações Desportivas, de um modo geral e global, a realização de pleitos eleitorais para a renovação de mandatos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    Cartas dos Leitores

    Acho que o Estado deve velar por essas infra-estruturas.

    Ler mais »

Ver todas »