Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Equipas nas Afrotaas

01 de Março, 2016
No fim-de-semana passado disputaram-se os jogos referentes à segunda -mão das eliminatórias para a Taça dos Clubes Campeões Africanos e para a Taça da Confederação, competições em que o nosso país está representado, respectivamente, pelo Recreativo do Libolo e pelo Sagrada Esperança da Lunda Norte.

O balanço, no cômputo da eliminatória, é a todos os títulos positivo para as formações angolanas. O Libolo ganhou em casa por 5-1 ao Racing da Guiné Equatorial, em Malabo foi confirmar a passagem ainda que temesse alguma revira -volta, já que quem joga no reduto tem factores a seu favor.

O campeão angolano tratou de confirmar o estatuto, fez um excelente jogo em que acabou não só por vencer mas também convencer o adversário, que não teve senão conformar-se com o afastamento. Foi de facto a vitória do crer, da firmeza e da determinação de uma equipa, coesa, astuta e batalhadora.

Por sua vez, o Sagrada Esperança de quem pouco se esperava em função de um desfecho não muito tranquilizador na primeira -mão, também passou para a eliminatória seguinte. Quem sorriu das declarações do técnico Zoran Maki, quando numa entrevista, carregado de optimismo disse com toda a convicção que a sua equipa ia dar a volta por cima.

Na verdade, os lundas acabaram por ser agradável surpresa. Afinal, depois do empate a dois golos pouca gente acreditava que a equipa tivesse arcaboiço, engenho e arte para chamar a si a qualificação e decidir a eliminatória em casa do adversário. Funcionou a teoria de que a esperança é última a morrer. E, no caso do Sagrada Esperança, a esperança foi realmente sagrada.

Vamos fazer votos para que as duas equipas vinquem a mesma determinação e vão mais além, já que o nosso país precisa de boa classificação nas provas de clubes nos próximos anos, e ver se a médio ou curto prazos volte a entrar no G-12, ou seja no grupo de países selectos com direito a representação nas competições da CAF, com quatro equipas.

Na frente surgem agora, o Al Ahly do Egipto para o Recreativo do Libolo, e a Liga Muçulmana de Moçambique para o Sagrada Esperança. Trata-se de duas equipas conhecidas na praça do futebol africano, que podem ser ultrapassadas com menos ou mais dificuldade, para o efeito, é necessário dar privilégio ao trabalho e ter crença na própria capacidade.

Os egípcios que cruzam o caminho do Libolo, são uma equipa com nome no futebol em África, mas é verdade que deixaram de ser a equipa que num passado recente esbanjava classe. Portanto não assusta, pelo que o campeão angolano não deve sentir-se inferior.

A Liga Muçulmana é uma formação ao nível do Sagrada Esperança. Há uma oportunidade de Zoran Maki e pupilos decidirem a eliminatória sem o aperto da vez anterior, embora ainda traídos pelo capricho do sorteio, fazem o jogo da segunda -mão fora de portas. Em resumo, bom começo para as equipas angolanas.

Últimas Opinies

  • 18 de Julho, 2019

    Final interessante

    Um mês depois de fortes emoções vividas nos estádios e em outros espaços fora e longe dos centros de disputa,  vamos ter,  finalmente,  amanhã dia 19, o cair do pano da XXXII edição do Campeonato Africano das Nações de futebol, organizado pelo Egipto.

    Ler mais »

  • 18 de Julho, 2019

    A dvida de Akw

    O dia 8 de Outubro de 2005, ficará para sempre gravado na história do desporto angolano e do futebol em particular.

    Ler mais »

  • 18 de Julho, 2019

    Assim no est nada bom

    Depois da decepção que foi a participação dos Palancas Negras no Campeonato Africano das Nações, que ainda decorre no Egipto, com encerramento previsto para amanhã, 19 de Julho, pensei que a paz voltaria, quanto antes, a reinar no “quintal” do futebol doméstico, de si já prenhe de problemas.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Uma seleco coxa sem craques de elite

    A qualidade  dos jogos dados a ver pelos Palancas Negras no CAN do Egipto, mostrou, mais uma vez, que não temos um estilo que nos identifica em termos de estilo.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    O real papel do gestor desportivo

    As funções de um gestor desportivo não são mais do que as funções de um gestor de empresas, adaptadas e ajustadas às particularidades de um clube ou federação desportiva.

    Ler mais »

Ver todas »