Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Etapa decisiva

04 de Junho, 2018
Não há nada de anormal no facto do 1º de Agosto surgir como campeão de cacimbo, terminada que está a primeira volta do Girabola.
Em termos reais, tal designação nada tem de especial, e até nem está instituído pelo órgão reitor do futebol, pelo que campeão de cacimbo acaba por ser, apenas, uma mera designação para a equipa que termina a primeira volta do campeonato na primeira posição.
Ainda assim, sempre é um incentivo para quem comanda a competição ao cabo das jornadas, que compreendem a primeira volta. O 1º de Agosto é a equipa que, depois de concluído o primeiro turno do Girabola, surge no primeiro posto, e o facto de estar isolado à entrada da segunda volta, acaba por ter maior relevância, pois, os seus mais directos adversários, sabem de antemão as contas que têm de fazer para contornar a situação.
Na qualidade de campeã em título, a turma militar era, à partida, a equipa a ser abatida, principalmente pelo lote de equipas que já tinham definido a sua situação, assumindo-se como candidatos a conquista do troféu do Girabola, e aí estavam perfiladas equipas como o Petro de Luanda, Interclube e o Kabuscorp do Palanca.
Por esta altura, e à entrada do segundo turno, apenas os dois primeiros podem constituir uma preocupação para o conjunto do 1º de Agosto, uma vez que os palanquinos, e por força do \"caso Rivaldo\", acabaram por ser penalizados pela FAF, por orientação da FIFA, ficando sem seis preciosos pontos.
A diferença pontual do Kabuscorp em relação ao comandante é grande, e a sua recuperação pode ser difícil, pelo que a carruagem dos candidatos pode continuar a ser um espaço VIP, reservado apenas a três formações.
É, na segunda volta, onde as equipas têm de fazer o \"sprint\" para conseguirem vincar os seus objectivos, e em que, por norma, a luta pelo título ganha mais consistência, e se clarifica a situação dos clubes em risco de despromoção.

Últimas Opinies

  • 09 de Dezembro, 2019

    Ruben chegou, viu e permaneceu

    O técnico argentino Rúben Garcia é o técncio estrangeiro que mais tempo esteve no  Girabola.. Desembarcou em 1982 para estar ao serviço do  1º de Maio de Benguela, para, depois,  orientar a  Académica do Lobito, FC.

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2019

    Do amor ideologia, devoo ao dinheiro

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2019

    Prova influenciou a media desportiva

    O “Girabola”, pode-se agora afirmar, influenciou sobremaneira a formação da Redacção Desportiva da RNA. Aquele mencionado quinteto de radialistas havia-se tornado insuficiente para a demanda, sobretudo a partida dos dois últimos.

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2019

    Notas da Histria do nosso futebol

    A história oficial do futebol angolano teria de  começar pelas décadas de 1920-30-40, porém, vamos aqui cingir-nos ao tempo de Angola já independente. E não se iria festejar a independência sem se jogar à bola; seria incaracterístico de um povo amante do futebol.

    Ler mais »

  • 09 de Dezembro, 2019

    Arbitragem de poca em poca

    A história do Campeonato Angolano de Futebol, Girabola, como também é conhecido, é repleta de factos curiosos em termos de arbitragem. O campeonato é considerado por muitos especialistas do futebol, como um dos mais disputado do nosso Continente, o que é diferente de ser o melhor.

    Ler mais »

Ver todas »