Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Etapa decisiva

28 de Fevereiro, 2019
Ultrapassado o curto intervalo, que convinha observar entre uma e outra fase, o campeonato nacional de futebol da primeira divisão, Girabola Zap de sua designação oficial, regressou terça-feira às quadras, para a disputa da segunda volta, taxada por muitos como a mais decisiva, em que a margem de erro deve ser mínima para as equipas intervenientes.
Depois de uma primeira volta super-interessante, marcada por uma forte disputa pelos lugares cimeiros, estamos na expectativa de ver o que serão as próximas 15 jornadas. Pode ser que as coisas se mantenham na mesma bitola, mas também pode se dar o caso de conhecerem inversão para cima ou para baixo, para o bem ou para o mal para alguns concorrentes.
À partida, o campeão nacional entra para o segundo turno da prova em posição de vantagem, embora sendo mínima, mas já lhe permite uma gestão menos apertada em relação a outras equipas, dependendo de si mesmo no que toca à manutenção da liderança. Mas também fique claro, que a concorrência que lhe vai ser exercida por outras equipas não será pouca.
O Petro de Luanda, que por pouco terminou a primeira volta \"ex-aequo\" com o 1º de Agosto, será, seguramente, uma equipa inconformada, que procura fazer tudo mais alguma coisa, no sentido de evitar maior distanciamento pontual na classificação. O seu objectivo é, sem dúvida, monitorar os passos do arqui-rival e tirar proveito de cada deslize deste.
Ainda assim, terá de prestar atenção à perseguição quer do Desportivo da Huila, quer do Kabuscorp do Palanca, outras equipas cheias de ambição e que acreditam na tese segundo a qual tudo é possível, desde que haja trabalho e determinação. O título nunca foi um bem adquirido desta ou daquela equipa. Todo aquele que luta por ele pode alcançá-lo.
Espera-se, por tudo isso, uma segunda volta de batalha campal, com as equipas a correrem, sem norte, pelos seus objectivos, sejam eles resumidos ao título, à melhoria de classificação ou à não descida de divisão. Há diferença em relação à primeira volta, onde algumas equipas resvalam para algum comodismo, cientes do elevado número de jogos ainda pele frente.
A partir de agora a luta será a doer, sob pena de se verem ultrapassados e relegados para posições incómodas, aqueles que não se empenharem na busca dos seus propósitos. É, enfim, a fase mais apetitosa do campeonato, que valha a pena acompanhar jornada a jornada e vibrar com o bom futebol que nos pode ser proporcionado pelos executantes.

Últimas Opinies

  • 21 de Setembro, 2019

    Craques que buscam afirmao alm-fronteiras

    É por demais sabido, que a história do futebol angolano regista o nome de ex-jogadores, que ajudaram a elevar o nome do país além-fronteiras.

    Ler mais »

  • 21 de Setembro, 2019

    Talentos angolanos ofuscados na dispora (?)

    Hoje, neste espaço assinado “A duas mãos”, concordamos escrever sobre um assunto de suma importância e que merece a nossa atenção, até porque, sem desprimor para outros, as questões sobre os futebolistas angolanos que actuam na diáspora, com particular destaque para os novos talentos que têm, nos últimos tempos, preenchido largos espaços na média desportiva e não só.

    Ler mais »

  • 21 de Setembro, 2019

    Cartas dos Leitores

    Os adversários são bons, os grupos são fortes e têm boas selecções.

    Ler mais »

  • 21 de Setembro, 2019

    Crise petrolfera

    Há maus ventos no Petro Atlético de Luanda

    Ler mais »

  • 19 de Setembro, 2019

    Futebol nacional deve ser revolucionado? (II)

    A semana precedente fechei o texto com o seguinte argumento: “A meu ver, já não se pode gastar dinheiro em vão com o futebol.

    Ler mais »

Ver todas »