Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Fase de grupos

12 de Setembro, 2019
Mesmo sem realizar uma exibição de encher os olhos, a Selecção Nacional cumpriu o primeiro dos objectivos rumo à fase de apuramento ao Mundial de 2022, que terá como palco o Qatar. O combinado angolano, agora interinamente orientado por Pedro Gonçalves, entra mais uma vez para a fase de grupos de qualificação da maior montra do futebol à escala do globo.
E tudo por obra dos dois triunfos obtidos frente à similar da Gâmbia, na preliminar de acesso à corrida ao Qatar-2022. Primeiro em Banjul, casa do adversário, por 1-0, com golo de Wilson Gaspar, e depois no Estádio Nacional 11 de Novembro, em Luanda, por 2-1, fruto dos tentos rubricados por Geraldo e Fábio Abreu, ao passo que Assan Cessay descontou para a selecção orientada pelo belga Tom Sainfiet.
Consolidado esse primeiro objectivo rumo ao Mundial de Futebol que acontece dentro de, sensivelmente, três anos, os Palancas Negras ficam a aguardar pelo sorteio dos grupos da zona africana, sem data ainda definida.
Após eliminar os “Escorpiões” da Gâmbia, no agregado das duas “mãos” por 3-1, os Palancas Negras, a par de outras 13 selecções africanas, juntam-se as demais 26 do continente que vão desfilar nos dez grupos, que serão repartidos cada por quatro equipas. E espera-se, com efeito, uma atitude positiva da equipa nacional angolana.
Angola, com efeito, deve ficar entrincheirada no pote 3 ou 4, podendo, nesse caso, defrontar selecções que figuram entre as 10 melhores classificadas do \'ranking\' da Confederação Africana de Futebol (CAF), ou ainda do leque dos países do continente que estão colocados entre a 11ª a 20ª posições da elite continental.
Por ora, resta aguardar o que nos trará o referido sorteio, para daí se tirarem as melhores ilações possíveis, em relação aquilo que poderá ser a prestação dos Palancas nesta caminhada para o Qatar.
É ponto assente, que será árdua a tarefa que o combinado nacional terá pela frente, já que das 40 selecções que formarão os dez grupos apuram-se apenas as primeiras de cada um destes. Resulta daí a crença na missão gigantesca que os actuais comandados do português Pedro Gonçalves vão ter na rota do Mundial de 2022.
E como se não bastasse essa empreitada, depois as dez selecções apuradas voltam a disputar uma outra etapa, a eliminar, em que sairá o grupo das cinco que ganharão o direito de participar na grande montra de futebol que o Qatar vai albergar entre Novembro e Dezembro de 2022. Até lá, há efectivamente muito caminho ainda para percorrer.

Últimas Opinies

  • 19 de Março, 2020

    Escaldante Girabola

    O campeonato nacional de futebol da primeira divisão vai dobrando os últimos contornos. A presente edição, amputada face a desqualificação do 1º de Maio de Benguela, abeira-se do seu fim . Entretanto, do ponto de vista classificativo as coisas estão longe de se definirem. No topo, o 1º de Agosto e o Petro travam uma luta sem quartel pelo título.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Cartas dos leitores

    Estamos melhor do que nunca. A pressão é para as pessoas que não têm arroz e feijão para comer. Estamos sem pressão, temos todos bons salários e boas condições de trabalho. Estamos numa situação de privilégio e até ao último jogo tivemos apenas duas derrotas.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Jogos Olmpicos2020

    A suspensão de diferentes competições desportivas a nível mundial em função do coronavírus, já declarada pela OMS-Organização Mundial da Saúde como Pandemia, remete-nos, mais uma vez, a reflectir sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Pelo menos até aqui, o COI-Comité Olímpico Internacional mantém de pé a ideia de realizar o evento nos prazos previstos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    FAF aquece com eleies

    Cá entre nós, o fim do ciclo olímpico, tal com é consabido, obriga, por imperativos legais, por parte das Associações Desportivas, de um modo geral e global, a realização de pleitos eleitorais para a renovação de mandatos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    Cartas dos Leitores

    Acho que o Estado deve velar por essas infra-estruturas.

    Ler mais »

Ver todas »