Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

"Febre" de desporto

13 de Janeiro, 2015
Há por esta altura, uma "febre" de desporto a espalhar-se por várias cidades do país, com os escalões de formação em evidência e a realização de campeonatos nacionais.

Janeiro foi o mês escolhido por algumas Federações Nacionais, para organizar campeonatos que abrangem os mais jovens, quer por força do calendário escolar, como por outras situações.

O basquetebol está em evidência em Benguela, o andebol decorre no Lubango e o hóquei em patins movimenta a cidade do Huambo, provas que certamente dão um outro colorido às respectivas urbes, deixa satisfeita a população juvenil daquelas paragens.

A actividade desportiva ajuda os nossos jovens a trilhar o caminho certo na vida, sem desvios que os colocam à margem da sociedade em práticas condenáveis, como o uso de drogas, álcool e prostituição.

É num ambiente saudável, que os nossos jovens desportistas aprendem a respeitar os adversários, ao mesmo tempo lhes é incutido o gosto pelas vitórias.
Angola é um país de desporto, e isso, pode ver-se nas conquistas do andebol feminino e do basquetebol nas duas classes, feitos que contribuem grandemente para o aumento do prestígio do país além fronteiras, uma vez que essas conquistas quase sempre, dão direito à participação nos maiores eventos internacionais, como Campeonatos do Mundo e Jogos Olímpicos, nos quais os nossos atletas podem conviver com os maiores desportistas do Mundo, num intercâmbio que é sempre salutar porque ultrapassa o convívio meramente desportivo.

É bonito ver os nossos jovens em actividade, no Lubango, em Benguela e no Huambo, em representação das suas províncias, em busca cada um do seu próprio espaço em provas que movimentam centenas de atletas, e em que cada quer ser, certamente uma estrela a brilhar.

Os campeões são preparados, levam tempo. Mas a preparação começa agora. Reunir jovens em campeonatos de forma regular, é preparar o futuro com ferramentas que lhes permitam em fases posteriores da sua vida desportiva, serem grandes campeões.

As Federações Nacionais devem criar sempre condições para que os jovens desportistas possam, anualmente, beneficiar dessas competições nacionais porque a elas cabem a organização dos campeonatos nacionais.

Com a organização de provas nacionais nas mais diversas categorias, o andebol, o basquetebol e as restantes modalidades vão estar a contribuir para a descoberta de talentos, que o desporto angolano precisa para se firmar entre as maiores potências do mundo.

Últimas Opinies

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Girabola de todos

    Soltaram-se assobios, no último fim-de-semana. Voltou aos palcos nacionais, o futebol de primeira grandeza. Ou seja, o campeonato nacional da primeira divisão, o nosso Girabola.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O segundo pecado da FAF

    A direcção de Artur Almeida e Silva acaba de cometer o segundo pecado, na gestão dos destinos da Federação Angolana de Futebol(FAF). O primeiro, assenta na desorganização que já a caracteriza.

    Ler mais »

Ver todas »