Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Festa em dia de Taa

01 de Novembro, 2017
Há festa em dia da Taça de Angola, ademais, quando as emoções do principal campeonato estão centradas na parte do fundo da tabela classificativa, onde se define a vida das equipas a despromover, uma vez que o campeão do Girabola já foi encontrado.
Em diferentes pontos do país, o acesso à final da prova promete grandes emoções, até porque reúnem equipas com particularidades próprias.

O 1º de Agosto ainda sorridente pela conquista recente do bi -campeonato de forma antecipada, tem agora de corresponder aos apelos dos seus adeptos que querem a “dobradinha”, para terem uma época em beleza.

E, bem entendido, pedir isso ao campeão, não é nada do outro mundo. O 1º de Agosto já mostrou que tem futebol e estrutura para se impor nas duas principais competições do país, está moralizado com as conquistas que obtém, e que o colocam na condição de clube número um do país. O Petro de Luanda, na condição de equipa mais titulada do país, em termos de Girabola, deixou neste ano o título fugir-lhe, por entre os dedos, mas sabe que pode ganhar alguma coisa.

Além do mais, uma conquista na Taça dá ao clube a possibilidade de desfilar no próximo ano, ao lado de alguns grandes do continente na Taça da Confederação.

O Progresso do Sambizanga e o Bravos do Maquis são equipas que estão no outro lado oposto, esperançadas em ter um encontro entre si, na final, têm para isso de ultrapassar militares e petrolíferos, respectivamente, nos dois jogos das meias-finais.

Diga-se desde já, que as empreitadas dos dois conjuntos não se afiguram de todo fácil. A desvantagem que levam, e que têm de contornar, é um primeiro óbice a ultrapassar frente a formações habituadas à pressão, e com tempo nestas andanças.

É certo, que o desejo de chegar à final pode constituir um motivador extra, mas isso por si só, pode não chegar para as duas equipas chegarem à final, porque as eliminatórias disputadas em dois jogos, têm outros contornos.

Ainda assim, sempre vale a pena repetir o velho ditado, de que o futebol é “uma caixinha de surpresas”, para justificar que no futebol nunca há vencedores antecipados, pelo que toda a lógica é falível.

O 1º de Agosto e o Petro de Luanda deram um passo em frente, para o desfecho a contento da eliminatória que hoje encerra, mas têm de assumir que tudo só deve estar definitivamente terminado, quando soar o apito para fazerem as contas finais.

De resto, cautelas e caldos de galinha nunca fizeram mal a ninguém.

Últimas Opinies

  • 19 de Março, 2020

    Escaldante Girabola

    O campeonato nacional de futebol da primeira divisão vai dobrando os últimos contornos. A presente edição, amputada face a desqualificação do 1º de Maio de Benguela, abeira-se do seu fim . Entretanto, do ponto de vista classificativo as coisas estão longe de se definirem. No topo, o 1º de Agosto e o Petro travam uma luta sem quartel pelo título.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Cartas dos leitores

    Estamos melhor do que nunca. A pressão é para as pessoas que não têm arroz e feijão para comer. Estamos sem pressão, temos todos bons salários e boas condições de trabalho. Estamos numa situação de privilégio e até ao último jogo tivemos apenas duas derrotas.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Jogos Olmpicos2020

    A suspensão de diferentes competições desportivas a nível mundial em função do coronavírus, já declarada pela OMS-Organização Mundial da Saúde como Pandemia, remete-nos, mais uma vez, a reflectir sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Pelo menos até aqui, o COI-Comité Olímpico Internacional mantém de pé a ideia de realizar o evento nos prazos previstos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    FAF aquece com eleies

    Cá entre nós, o fim do ciclo olímpico, tal com é consabido, obriga, por imperativos legais, por parte das Associações Desportivas, de um modo geral e global, a realização de pleitos eleitorais para a renovação de mandatos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    Cartas dos Leitores

    Acho que o Estado deve velar por essas infra-estruturas.

    Ler mais »

Ver todas »