Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Festa em dia de Taa

01 de Novembro, 2017
Há festa em dia da Taça de Angola, ademais, quando as emoções do principal campeonato estão centradas na parte do fundo da tabela classificativa, onde se define a vida das equipas a despromover, uma vez que o campeão do Girabola já foi encontrado.
Em diferentes pontos do país, o acesso à final da prova promete grandes emoções, até porque reúnem equipas com particularidades próprias.

O 1º de Agosto ainda sorridente pela conquista recente do bi -campeonato de forma antecipada, tem agora de corresponder aos apelos dos seus adeptos que querem a “dobradinha”, para terem uma época em beleza.

E, bem entendido, pedir isso ao campeão, não é nada do outro mundo. O 1º de Agosto já mostrou que tem futebol e estrutura para se impor nas duas principais competições do país, está moralizado com as conquistas que obtém, e que o colocam na condição de clube número um do país. O Petro de Luanda, na condição de equipa mais titulada do país, em termos de Girabola, deixou neste ano o título fugir-lhe, por entre os dedos, mas sabe que pode ganhar alguma coisa.

Além do mais, uma conquista na Taça dá ao clube a possibilidade de desfilar no próximo ano, ao lado de alguns grandes do continente na Taça da Confederação.

O Progresso do Sambizanga e o Bravos do Maquis são equipas que estão no outro lado oposto, esperançadas em ter um encontro entre si, na final, têm para isso de ultrapassar militares e petrolíferos, respectivamente, nos dois jogos das meias-finais.

Diga-se desde já, que as empreitadas dos dois conjuntos não se afiguram de todo fácil. A desvantagem que levam, e que têm de contornar, é um primeiro óbice a ultrapassar frente a formações habituadas à pressão, e com tempo nestas andanças.

É certo, que o desejo de chegar à final pode constituir um motivador extra, mas isso por si só, pode não chegar para as duas equipas chegarem à final, porque as eliminatórias disputadas em dois jogos, têm outros contornos.

Ainda assim, sempre vale a pena repetir o velho ditado, de que o futebol é “uma caixinha de surpresas”, para justificar que no futebol nunca há vencedores antecipados, pelo que toda a lógica é falível.

O 1º de Agosto e o Petro de Luanda deram um passo em frente, para o desfecho a contento da eliminatória que hoje encerra, mas têm de assumir que tudo só deve estar definitivamente terminado, quando soar o apito para fazerem as contas finais.

De resto, cautelas e caldos de galinha nunca fizeram mal a ninguém.

Últimas Opinies

  • 07 de Abril, 2021

    Ida ao Mundial marcou o futebol

    Em 2018, a nossa selecção de futebol adaptado trouxe-nos o primeiro troféu de cariz Mundial, ao vencer o campeonato do Mundo.

    Ler mais »

  • 07 de Abril, 2021

    Ganhos que podem ir ao ralo

    A circulação de pessoas e bens, apesar das dificuldades das estradas, faz-se com segurança.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um toque ao desenvolvimento

    O país comemorou ontem mais um ano de paz. Foi a 4 de Abril de 2002 que a Nação angolana presenciou a cerimónia que marcou o fim de um período de guerra que deixou inúmeras cicatrizes.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Os ganhos da nossa vaidade

    Ao assinalarmos 19 anos, desde que o país começou a desfrutar do alívio que só a paz proporciona, não há como não reconhecer os ganhos havidos no sector desportivo neste lapso de tempo.

    Ler mais »

  • 05 de Abril, 2021

    Um retrocesso em alguns casos

    O desporto foi o grande embaixador do país, algumas modalidades assumiram-se como verdadeiros porta-estandartes, dado os feitos protagonizados por algumas selecções nacionais.

    Ler mais »

Ver todas »