Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Fim do sonho

07 de Julho, 2016
A Selecção Nacional sénior masculina de basquetebol, terminou ontem a sua campanha no torneio pré-olímpico, averbou a segunda derrota consecutiva, desta vez, diante dos anfitriões sérvios após um primeiro desaire na estreia.

Angola volta a falhar a participação em mais uma edição dos Jogos Olímpicos, que este ano decorrem em Agosto na cidade brasileira do Rio de Janeiro, e isso por culpa própria, pois não conseguiu o apuramento directo na prova que qualificou o representante do continente, que saiu do último campeonato africano que a Tunísia organizou, e que teve a Nigéria como vencedor, após vencer na final o "cinco" angolano, nem tão -pouco no torneio que permitia chegar à cimeira olímpica.

Na competição da Sérvia, ao conjunto nacional estavam à partida, reservadas grandes dificuldades. Primeiro, os sérvios também estavam na luta pelo apuramento e apresentaram a candidatura para albergar a prova, com esse fim, é o conjunto mais forte do grupo, e depois porque a selecção de Porto Rico, com a qual Angola podia discutir o passe para as meias-finais, apresentou-se mais forte que a selecção orientada pelo técnico Carlos Dinis, e isso, viu-se na grande réplica que conseguiram dar à Sérvia no jogo que abriu a prova, assim como na partida diante dos angolanos, em que acabaram por triunfar, não obstante Angola mostrar classe na derrota.

Para os angolanos, foi legítimo sonhar com a presença no Rio de Janeiro, mas salve-se desde já que os objectivos foram previamente definidos, pois passavam, primeiro, por mostrar bom basquetebol e pensar de jogo a jogo com um conjunto em renovação.

O fim do sonho olímpico era mais uma oportunidade, para os homens da bola ao cesto se engajarem mais uma vez, na abordagem de forma directa e dentro de espírito de irmandade dos problemas com que o basquetebol se debate, tanto ao nível da sua organização estrutural, como no que diz respeito à realização das provas nacionais.
Para a Selecção Nacional, é mister chegar ao próximo Campeonato Africano que a cidade de Brazzaville acolhe dentro de um novo ciclo competitivo, no assalto ao resgate do título, um objectivo desde já definido pelos órgãos que dirigem a modalidade no país.

A presença no torneio pré-olímpico não foi má. Além do conjunto nacional ter perseguido um sonho, alguns jogadores que perfilam-se como potenciais integrantes da futura selecção nacional, puderam usufruir de jogo de alto nível, é isso o que a selecção precisa, para que haja um crescimento competitivo dos nossos jogadores.
De resto, a preparação para o Africano deve ter continuidade, pois como se diz no desporto, as grandes vitórias são preparadas com antedência.

Últimas Opinies

  • 23 de Março, 2019

    Agora que venha o CAN do Egipto!

    Que venha agora o CAN do Egipto! Sim, que  venha o Campeonato Africano das Nações porque a fase de qualificação ficou já para atrás. 

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Cartas dos Leitores

    Estou aqui para trabalhar. É uma realidade nova para mim. Nunca estive em África.

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Angola est no Egipto

    O país acordou, hoje, na ressaca da explosão festiva resultante da qualificação da selecção nacional de futebol, ao Campeonato Africano das Nações, a disputar-se em Junho e Julho, no Egipto.

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Amanh um "tudo ou nada

    Amanhã é uma espécie de Dia D, para nós, e tal fica a dever-se aos ‘’Palancas Negras’’

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Um regresso depois de quase dez anos

    Volvidos quase dez anos, volto a assumir uma missão como enviado especial do Jornal dos Desportos, título para o qual escrevo desde o ano de 1997, e que nesse momento assumo o cargo de editor, depois de já ter sido sub-editor e correspondente provincial.

    Ler mais »

Ver todas »