Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Futebol e dinheiros

14 de Dezembro, 2013
O futebol transformou-se em indústria. Gere dinheiro mas também exige investimentos, principalmente quando se trata de alta competição, em que os intervenientes têm objectivos sempre definidos à partida, na qual uma participação airosa deve ter como base uma estrutura organizativa bem montada e funcional, além de um plantel com jogadores com qualidade.

O nosso futebol dá passos para afirmar-se e o nosso Girabola, principal campeonato do país, é hoje reconhecido como competitivo, fruto de investimentos feitos pelos clubes, com a contratação de jogadores de renome a ganhar cada vez mais contornos altos.

Não se justifica, pois, que clubes sem possibilidades financeiras queiram desfilar entre os grandes, quando a toda hora clamam por dinheiros para honrar compromissos com treinadores e atletas, em suma, para custear uma época desportiva que, como se sabe, abarca duas grandes competições, o Campeonato Nacional da primeira divisão e a Taça de Angola.

Não é bonito vermos o Sporting de Cabinda, equipa que lutou na Segundona para subir de divisão, começar já a falar em dificuldades financeiras, numa altura em que o futebol está no defeso.

Esse mesmo Sporting que protagonizou cenas tristes no ano da sua despromoção, com greves dos jogadores, que reclamavam o cumprimento dos compromissos assumidos com a direcção do clube, concretamente o pagamento de salários e prémios de jogo, pelo que não custa adivinhar que tal situação pode repetir-se, em função dessas lamentações que vêm da cidade mais ao norte do país.

Uma situação nada abonatória para o futebol, porque a manter-se deixa no ar o receio de desistência dessa ou de outra equipa que eventualmente venha a viver a mesma situação e, como se sabe, em nada se coaduna com a verdade desportiva que queremos sempre no futebol nacional.

É evidente que desejamos que o futebol de primeira água chegue a todos os cantos do país, até porque é um elemento catalisador da unidade nacional. Mas os clubes devem criar condições para poderem desfilar nas grandes competições, honrando os compromissos com treinadores, atletas e demais funcionários.

Últimas Opinies

  • 18 de Março, 2019

    Cartas dos Leitores

    Temos de nos preparar bem para o jogo que será decisivo e estou convicto que iremos fazer este trabalho em conjunto, não temos muito tempo, agurada-nos um trabalho sério contra uma selecção que perdeu todas as partidas.

    Ler mais »

  • 18 de Março, 2019

    L se foi o sonho...

    O Petro de Luanda, até ontem o único sobrevivente angolano nas Afrotaças, não conseguiu evitar a derrota frente ao Gor Mahia FC do Quénia, em Nairobi, num jogo em que estava “condenado” a não desperdiçar, na totalidade, os pontos em discussão.

    Ler mais »

  • 18 de Março, 2019

    Os estreantes e o ritual de integrao

    Igor Vetokele regressa aos Palancas Negras, depois de muito tempo.

    Ler mais »

  • 16 de Março, 2019

    Cartas dos Leitores

    Eu já vi três vezes o jogo, muito sinceramente deu para ver alguma coisa na atitude e reacção de certos jogadores.

    Ler mais »

  • 16 de Março, 2019

    Operao Botswana

    A Selecção Nacional de futebol em honras concentra-se amanhã, a noite, tendo em vista a derradeira jornada do Grupo I da campanha para o Campeonato Africanos das Nações deste ano, a decorrer entre 21 de Junho e 19 de Julho no Egipto.

    Ler mais »

Ver todas »