Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Girabola de volta

12 de Setembro, 2014
A bola volta assim a rolar para o campeonato nacional, que tem pouco menos de sete jornadas para o registo do seu epílogo, com uma grande disputa ainda em evidência, quer no topo, quer na cauda da tabela classificativa.

O regresso da maior festa do futebol nacional acontece depois de na passada quarta-feira o país ter assistido ao vexame dos Palancas Negras, que perderam por 0-3, em Luanda, diante do Burkina Faso, resultado que complica as suas contas no Grupo C, onde ocupam agora a posição de lanternas vermelhas, sem qualquer ponto.

Apesar deste cenário que deixou os amantes do futebol tristes, amanhã e domingo, nos mais distintos estádios do país, a competição doméstica vai procurar fazer esquecer este desaire e motivar os adeptos para o apoio às suas equipas. Tanto as que lutam para o título como as que batalham para evitar a despromoção precisam de continuar a contar com o seu décimo segundo jogador.

A pausa verificada pode ter causado benefícios e prejuízos às equipas. Por um lado pode ter favorecido as equipas que nas últimas jornadas não iam tão bem no seu desempenho, perdendo jogo atrás de jogo. Por outro, pode ter lesado aquelas que estavam embaladas com os resultados. Os próprios treinadores divergiram neste particular indicando vantagens e desvantagens.

As agremiações que antes da pausa só somavam vitórias são as que sentem o prejuízo da paragem, pelo facto de recearem perder o embalo que traziam. Do lado oposto podem estar aquelas equipas com um mau desempenho, havendo a possibilidade de terem equacionado estratégias para recuperarem o tempo perdido.

Numa altura em que a prova caminha para as derradeiras jornadas, é quase proibido a qualquer equipa o desperdício de pontos, sob pena de colocarem em risco os objectivos que pretendem alcançar.

Há, por isso, uma enorme expectativa pela disputa de mais uma jornada, neste regresso do Girabola depois da pausa de 15 dias que a competição registou. O líder Recreativo do Libolo (53 pontos) vai procurar manter a distância que o separa dos mais directos perseguidores, Kabuscorp do Palanca (45) e Benfica de Luanda (42), enquanto na cauda o 1º de Maio (17), Benfica do Lubango (16) e União do Uíge (16) tudo vão fazer para evitar o regresso à segunda divisão.

Últimas Opinies

  • 15 de Julho, 2019

    O real papel do gestor desportivo

    As funções de um gestor desportivo não são mais do que as funções de um gestor de empresas, adaptadas e ajustadas às particularidades de um clube ou federação desportiva.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Quem explica o desporto angolano?

    O nosso desporto merece um estudo profundo, para se encontrar explicações que justifiquem os resultados que vai tendo.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    No nosso grupo (A),  somos a única selecção (Angola) que tem a sua primeira participação  a este nível. Canadá vai para a sua sétima, Nova Zelândia.

    Ler mais »

  • 15 de Julho, 2019

    Objectivo falhado

    Angola não conseguiu alcançar o objectivo preconizado no Mundial de Hóquei em Patins, que se disputou em Barcelona, Espanha, acabando por se quedar na sexta posição.

    Ler mais »

  • 13 de Julho, 2019

    Cartas dos Leitores

    Vamos entrar para o campeonato em cada jogo para ganhar, nós queremos começar bem, com o pé direito. Como sabem, já temos o calendário.

    Ler mais »

Ver todas »