Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Girabola est ao rubro

10 de Janeiro, 2019
O Campeonato nacional de futebol da primeira divisão, regista uma renhida disputa, quanto às posições cimeiras. As formações do 1º de Agosto, Desportivo da Huíla e Petro de Luanda travam uma espécie de batalha campal pela liderança, tal é pois, a determinação por estas evidenciadas. O Kabuscorp do Palanca, por sua vez, não fica distante.
Na verdade, é este equilíbrio na disputa que confere interesse e suspense a qualquer torneio, porque muitas vezes o domínio absoluto de um, retira a beleza que o público espera da competição. Portanto, não significa que os tropeços que o campeão nacional teve, nos tenham agradado. Em competição é assim. Quem tropeça facilita a concorrência.
Houve uma determinada fase, em que os militares tinham uma relativa vantagem sobre os outros concorrentes, porém, os sucessivos empates que consentiu com o Progresso do Sambizanga, Recreativo do Libolo e Saurimo FC , abriram caminho de ascensão às outras equipas, que basearam-se no aforismo \"no aproveitar está o ganho\" é claro que não desperdiçaram.
À saída da décima jornada, as duas turmas militares (1º de Agosto e Desportivo da Huíla) estão \"ex-aequo\" no topo da classificação, somam 19 pontos, são seguidas de perto pelo Petro de Luanda, que soma 17 pontos. Portanto, os números atiçam a competitividade, prevê-se para as próximas jornadas disputa acérrima e certamente com processo de revezamento na liderança.
Esta semana, o Petro de Luanda desloca-se à Bamako, para defrontar no sábado o Stade de Malien, para a Taça da Confederação. Este particular pode alterar as coisas no comando, deve o 1º de Agosto voltar a isolar-se, caso vença o Recreativo da Caála, na deslocação ao Planalto Central. Os petrolíferos iam jogar com o Desportivo da Huíla, no que devia ser um verdadeiro \"tira-teimas\" da jornada.
Com efeito, o que se depreende, apesar da decadência de algumas equipas de topo, por razões que pode ser que tenha a sua razão de ser, como são os casos do Interclube e do Recreativo do Libolo, as outras não perderam o timbre de aguerridas e fortes candidatas ao título. Mesmo o Recreativo do Libolo dá sinal de que tem alguma palavra a dizer no presente campeonato.
De resto, os três pontos que os separam do 1º de Agosto e do Desportivo da Huila, não constituem uma margem de diferença assustadora. Desde que se fixem nos seus objectivos e saibam, por outro, aproveitar as oportunidades que apareçam à frente, pode lá chegar. E, é já muito bom, quando o título envolva mais que duas ou três equipas.
É claro, que ainda se está a meio do campeonato, não se descure a hipótese de algumas equipas fracassarem e se verem sem fôlego para às exigências da segunda volta. Entretanto, vamos esperar que isso não aconteça, tenhamos um campeonato disputado até ao limite, é afinal este quesito, que agrada o público consumidor do espectáculo.

Últimas Opinies

  • 19 de Setembro, 2019

    Capitalizar os Capitas

    Está na baila o que adjectivo por “Caso Capita”, que até onde sei envolve a direcção do Clube Desportivo 1º de Agosto, o agente do jogador, a Federação Angolana de Futebol e a família de sangue do referido atleta, que até prova em contrário, ainda está vinculado ao clube militar, que o inscreveu para a presente época futebolística.

    Ler mais »

  • 19 de Setembro, 2019

    Cartas dos Leitores

    Sinto-me bem na província da Lunda-Norte. As pessoas têm sido fantásticas comigo, em todos os aspectos. Têm-me apoiado bastante e, naturalmente, os jogadores, direcção e todos os membros do clube.

    Ler mais »

  • 19 de Setembro, 2019

    Pensamento de Drogba

    Considerando que a vida é feita de sonhos e ambições, é de todo legítimo o pensamento do antigo internacional costa-marfinense Didier Drogba, em traçar como meta das suas ambições, enquanto homem do futebol, a presidência da Federação Costa-marfinense de Futebol.

    Ler mais »

  • 16 de Setembro, 2019

    O lado difcil do marketing desportivo

    "Do jeito que vocês estão a trabalhar, o marketing desportivo em Angola, muito abaixo da linha da cintura, creio que este é o pior momento possível para se apostar no sector”, desabafou um especialista brasileiro, numa conversa mantida recentemente em ambiente reservado, com um pequeno grupo de jovens empreendedores, que "sonham" fazer grandes negócios através do marketing desportivo.

    Ler mais »

  • 16 de Setembro, 2019

    Cartas dos Leitores

    O Sagrada é um clube com carisma, mística e sente-se isso na província, quer no dia-a-dia com os adeptos, quer no contacto com as pessoas.

    Ler mais »

Ver todas »