Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Girabola na nova fase

20 de Junho, 2017
O Girabola entrou na fase crucial, a que apura o campeão, e as equipas que por incompetência são despromovidas todos os anos, e no escalão secundário tentam novo regresso com êxito. Estão por esta altura, os clubes proibidos de enveredar em devaneios, porque correm o risco de ficar a meio do caminho, sem alcançarem os objectivos que definiram.

O arranque da segunda volta teve alguns resultados fora do previsto, o que certamente vão levar a que dirigentes e jogadores reflictam, sobre o que de facto a prova pode proporcionar até ao final. O empate da equipa do Santa Rita de Cássia, no reduto do Libolo, certamente que não estava nas previsões de muita gente, mais pela posição do clube do Uíge na tabela de classificação, onde ocupam lugar de despromoção.

A equipa bateu o pé, nos jogos com os chamados grandes, Libolo, Petro de Luanda, Kabuscorp e 1º de Agosto, pelo que o ponto que arrancou ao Libolo, atrasou essa formação na recuperação, tem pouco de surpreendente. É certo que a equipa ocupa a última posição, mas não é certo que a situação esteja já definida, embora, possa ser uma das formações condenadas a descer de situação, se não inverter o quadro de resultados negativos.

O regresso do campeonato, acaba também por ser marcado com as goleadas à moda antiga, em que o campeão 1º de Agosto foi o protagonista, ao impor um resultado avantajado aos caloiros do JGM do Huambo, um triunfo que permite manter-se na peugada do conjunto que lidera a prova, Petro de Luanda, que conseguiu antes uma preciosa vitória diante do Progresso. O Girabola já tem que se diga. Os treinadores são despedidos, mesmo quando mostram trabalho, e o Recreativo da Caála esbanja da pior forma as qualidades dos treinadores que contrata.

A saída de Alberto Cardeau do comando técnico do conjunto, deixou no ar algumas interrogações, mas o regresso de David Dias a uma equipa em que quase foi campeão, não correspondeu, decerto, às expectativas dos seus dirigentes. Num ângulo oposto, o ASA começou a segunda volta com vitória, o que pode levar os seus responsáveis a abrir largos sorrisos, se tivermos em linha de conta o facto não ser assim nos últimos tempos, em que as derrotas sucediam-se e deixavam sempre o clube à beira da descida, evitada \"in extremis\", em situação de puro desespero.

O Girabola regressou e a promessa de haver emoções a reinar nos recintos desportivos, o que não vai deixar de ser um bom lenitivo, para amainar o cacimbo que começou a apertar.

Últimas Opinies

  • 15 de Dezembro, 2018

    Honremos as nossas glrias

    Afigura-se sempre pertinente falar ou escrever sobre ex-atletas, de qualquer modalidade, que num passado recente deram o seu melhor, contribuindo para a evolução da mesma e, também para que o País alcançasse glórias no contexto continental e internacional.

    Ler mais »

  • 15 de Dezembro, 2018

    Citaes

    Normalmente quando se ganha não se pode mexer, quando se mexe é porque alguma coisa não está bem. Os jogadores estão bem e vamos aproveitar esse bom momento.

    Ler mais »

  • 15 de Dezembro, 2018

    Boa prenda de Natal

    Angola posicionou-se no lugar mais alto do pódio, no Campeonato Africano de andebol sénior feminino que a cidade de Brazzaville albergou, e  serviu, também, para apurar os representantes do continente ao próximo Mundial da categoria.

    Ler mais »

  • 13 de Dezembro, 2018

    O exemplo que nos faz falta(fim)

    Angola e Portugal poderiam cooperar enviando por um período professores de educação física, que o físico dos angolanos ia ficar grato por gerações e gerações a viver desse embalo.

    Ler mais »

  • 13 de Dezembro, 2018

    CAF e a pedra no sapato

    Em 1996 o Quénia renunciou à organização do Campeonato Africano das Nações, por alegada falta de condições ideais para o efeito. Sendo assim, a África do Sul, que se preparava para acolher a edição de 1998, assumiu o desafio, e, acto ,contínuo,  o Burkina Faso, candidato à edição de 2000, teve de acelerar as obras para receber a prova de 1998.

    Ler mais »

Ver todas »