Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

guas calmas

26 de Fevereiro, 2018
O ténis de campo esteve de novo na boca do mundo e infelizmente por maus motivos, que assentaram na falta de entendimento, no seio da família da modalidade.
Uma situação que se arrastava de um tempo a esta parte, com implicações directas na gestão da modalidade, que por via disso, deixou de receber os apoios do órgão que rege o desporto no país.
A modalidade teve dias de franca expansão, com movimentações nos courts do Dundo e de Benguela, o que configurava um cenário prometedor e um futuro risonho.
Dos tempos de Augusto Pinto Ganino e Eliseu Maria, até mesmo de Ana Gonga, figuras que marcaram o seu tempo, muitos foram os campeões forjados no Clube de Ténis de Luanda, numa época em que Angola granjeava o respeito das instituições internacionais, concretamente, a Confederação Africana e a Federação Internacional, com as suas quotas em dia, e a beneficiar por esse facto, dos apoios destas duas estruturas.
A desorganização da Federação Angolana da modalidade que se arrastava faz tempo acabou por levar internamente à estagnação da disciplina desportiva, com os reflexos que se conhecem.
O país perdeu a confiança das instituições internacionais, as competições nacionais como os campeonatos nacionais foram protelados, sem verbas e a viver uma crise de direcção, o órgão que tutela a modalidade foi incapaz de dar sequência à realização regular das provas nacionais, que devem estar inseridas no calendário anual de competições.É tempo de união. A Federação como órgão que responde ao Ministério da Juventude e Desportos, sabe que a sua gestão deve estar de acordo com o que a Lei das Associações Desportivas consagra.
Com este novo ciclo, espera-se que haja boas perspectivas. Um bom entendimento e acordos futuros podem bem abrir o caminho para se chegar ao objectivo.
Águas calmas, turbulência afastada, precisa-se. Tomara que o entendimento venha para perdurar, porque o ténis precisa de voltar aos bons níveis do passado.

Últimas Opinies

  • 19 de Março, 2020

    Escaldante Girabola

    O campeonato nacional de futebol da primeira divisão vai dobrando os últimos contornos. A presente edição, amputada face a desqualificação do 1º de Maio de Benguela, abeira-se do seu fim . Entretanto, do ponto de vista classificativo as coisas estão longe de se definirem. No topo, o 1º de Agosto e o Petro travam uma luta sem quartel pelo título.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Cartas dos leitores

    Estamos melhor do que nunca. A pressão é para as pessoas que não têm arroz e feijão para comer. Estamos sem pressão, temos todos bons salários e boas condições de trabalho. Estamos numa situação de privilégio e até ao último jogo tivemos apenas duas derrotas.

    Ler mais »

  • 17 de Março, 2020

    Jogos Olmpicos2020

    A suspensão de diferentes competições desportivas a nível mundial em função do coronavírus, já declarada pela OMS-Organização Mundial da Saúde como Pandemia, remete-nos, mais uma vez, a reflectir sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Pelo menos até aqui, o COI-Comité Olímpico Internacional mantém de pé a ideia de realizar o evento nos prazos previstos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    FAF aquece com eleies

    Cá entre nós, o fim do ciclo olímpico, tal com é consabido, obriga, por imperativos legais, por parte das Associações Desportivas, de um modo geral e global, a realização de pleitos eleitorais para a renovação de mandatos.

    Ler mais »

  • 14 de Março, 2020

    Cartas dos Leitores

    Acho que o Estado deve velar por essas infra-estruturas.

    Ler mais »

Ver todas »