Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Histricos em maus lenis

18 de Março, 2015
A vida não está nada fácil para o 1º de Agosto, tal como para o Progresso, dois históricos do futebol nacional. Por incrível que pareça, as duas equipas partilham a última posição do Girabola, somam ambas um ponto. Uma performance que jamais alguém acreditava ser possível antes do início da época.

O que se passa de facto com as duas equipas? Essa é a questão que todos pretendem saber. As duas equipas reforçaram os plantéis, de acordo com as preferências dos seus treinadores. Uma situação que devia ser convertida em resultados positivos e não o que se observa com algum desânimo.
Nos quatro jogos já realizados até aqui, ambas somam três derrotas e um empate. E isso conduz à reflexão sobre a atitude competitiva com que as duas equipas abordam esta primeira fase da época.

Afinal, parece evidente que tanto o 1º de Agosto como o Progresso precisam de ter um veterano na dupla de centrais, a avaliar pelos golos sofridos até aqui. Os militares já sofreram seis golos e os sambilas cinco. A eficácia com relação ao atacante é outro tormento de que padecem as duas equipas. Os militares marcaram dois golos em quatro jogos, e o Progresso apenas um.

É bem verdade que uma equipa joga o que a outra permite. Mas por aquilo que demonstraram até ao momento, podemos constatar que as duas equipas estão num processo de reciclagem. Só assim se compreende o futebol anémico que têm mostrado. Os dias de hoje são de sentimento de tristeza em todo o plantel sambila e militar, e de indignação entre os seus adeptos e apoiantes. Indignação por tudo quanto produziram até aqui e pela caricatura desfocada da imagem que exibem. Contudo, o mais triste é ver os seus adeptos a cantarem alto, como que a empurrarem as equipas para as despertar, sonhar com a desejada recuperação e não saírem dos Estádios cabisbaixos como que a arrastarem o peso das suas desgraças.

Este início desastroso vai demorar a cicatrizar, a não ser que descubram o quanto antes o caminho da vitória. As próximas jornadas vão ser determinantes, já que a diferença pontual que as separam dos primeiros lugares está a distanciar-se a cada jornada. Dois clubes “balofos”, perdedores, desnorteados, com os adeptos desmotivados e tristonhos, têm de reencontrar a alma e o seu futebol. Têm de dar um passo de gigante neste início de época desastrada.

A situação está cada vez mais crítica. “Qual paciente acometido de um tumor devastador!”. A agonia é imensa, mas os próprios “pacientes”, no caso 1º de Agosto e Progresso, parece recusarem-se a acreditar que o fim está iminente, caso não consigam encontrar o antídoto para a salvação. Estamos ainda na quinta jornada. Restam 25 para o final do campeonato. Muita água vai passar por debaixo da ponte. Contudo, tanto o 1º de Agosto como o Progresso têm de começar já a recuperar os pontos perdidos, sob pena de verem frustrados os objectivos traçados pelas respectivas direcções.

Últimas Opinies

  • 23 de Março, 2019

    Agora que venha o CAN do Egipto!

    Que venha agora o CAN do Egipto! Sim, que  venha o Campeonato Africano das Nações porque a fase de qualificação ficou já para atrás. 

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Cartas dos Leitores

    Estou aqui para trabalhar. É uma realidade nova para mim. Nunca estive em África.

    Ler mais »

  • 23 de Março, 2019

    Angola est no Egipto

    O país acordou, hoje, na ressaca da explosão festiva resultante da qualificação da selecção nacional de futebol, ao Campeonato Africano das Nações, a disputar-se em Junho e Julho, no Egipto.

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Amanh um "tudo ou nada

    Amanhã é uma espécie de Dia D, para nós, e tal fica a dever-se aos ‘’Palancas Negras’’

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Um regresso depois de quase dez anos

    Volvidos quase dez anos, volto a assumir uma missão como enviado especial do Jornal dos Desportos, título para o qual escrevo desde o ano de 1997, e que nesse momento assumo o cargo de editor, depois de já ter sido sub-editor e correspondente provincial.

    Ler mais »

Ver todas »