Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Indefinio na bola ao cesto

02 de Maio, 2015
O campeonato nacional da bola ao cesto vive uma fase de indefinição, salutar, é bom que se diga, para gáudio dos adeptos que têm ocorrido aos recintos de jogo.

Sem vencedores antecipados nos jogos programados, torna-se difícil vaticinar resultados, pois, em função desta indefinição, todo e qualquer prognóstico é falível, o que torna assim interessante a luta que as equipas fazem em busca do melhor resultado, neste caso a vitória, para que possam aumentar o seu pecúlio de pontos.

Havendo cinco equipas para apenas quatro lugares nas meias-finais, o comportamento das formações não segue uma cadência no mesmo sentido. Por outras palavras, hoje uma formação pode obter uma vitória estrondosa, como amanhã claudicar de forma quase inexplicável.

Daí que o campeão Libolo, mesmo a liderar a campanha, tenha já sofrido um revés, quando tudo indicava que estava no caminho certo para o seu melhor apuro de forma, com todas as suas unidades disponíveis para chegar ao primeiro lugar no fim desta fase.Outro exemplo poderia ser o do 1º de Agosto, que deu um salto na tabela classificativa e conseguiu apanhar o Petro de Luanda e posicionar-se a um ponto do actual campeão em título, o que de certo modo avivou, ainda mais, a luta pelo primeiro posto.Num outro ângulo, o caso do Interclube é quase atípico, se atendermos que a equipa reforçou-se para chegar longe, mas neste momento é a única formação que nesta fase ainda não venceu.

A equipa queixa-se de más arbitragens e, verdade seja dita, o órgão reitor da arbitragem do basquetebol nacional já devia vir a terreiro fazer vincar a sua posição, tal é a forma como treinadores e dirigentes dos polícias mostram a sua indignação por alegadas irregularidades das arbitragens nos jogos em que a sua formação está envolvida, equacionando-se, inclusive, a não participação em próximas edições da prova nacional, como protesto por todas essas situações menos boas.

Pondo de parte tudo isso, o Interclube corre o risco de não figurar entre as equipas que vão disputar o play-off, porque o ASA aparece melhor posicionado e, certamente, com níveis motivacionais mais altos.Há pois motivos para esperar pelo desfecho desta fase do "nacional" de basquetebol. Nada está definido nesta altura, embora a luta pelo primeiro lugar se restrinja apenas a três formações e de onde deverá, desde já, sair o próximo campeão nacional, a não ser que aconteça, por exemplo, uma grande surpresa, com a intromissão do Interclube e do ASA.

Últimas Opinies

  • 22 de Agosto, 2019

    Mais um falso arranque do Interclube

    Para o desalento dos prosélitos do futebol sénior masculino, as cortinas do Girabola Zap, versão 2019/20, foram descerradas com máculas na jornada inaugural que, mais uma vez, põem em causa a capacidade organizativa da Federação Angolana de Futebol (FAF), que parece apostada numa competição em que é premiada a instituição que mais erros comete ao longo do “consulado”.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O pas dos amigalhaos

    Foi recentemente anunciada a rescisão contratual do treinador Srdjan Vasilevic com a Federação Angolana de Futebol.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Petro escorregou Vasiljevic j era

    O grande Petro já  atemoriza os seus adeptos em poder continuar a fazer travessia no deserto neste seu “hibernar” sem título desde 2009: empatou mesmo depois de o presidente.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Cartas dos Leitores

    Penso, que não há  muitas alterações  em relação aos candidatos, o 1º de Agosto procura o Penta e o Petro luta para quebrar o jejum de 10 anos, sem conquistar o campeonato.

    Ler mais »

Ver todas »