Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Jogar a Supertaa

04 de Fevereiro, 2017
Hoje, os amantes do futebol nacional voltam a ser presenteados com mais um jogo grande. As formações do 1º de Agosto e do Recreativo do Libolo, por sinal as principais referências da praça nacional, defrontam-se logo mais a partir das 16h00, no Estádio Municipal dos Coqueiros, para a Supertaça.

Trata-se de um jogo rodeado de particular interesse, nos bastidores da modalidade, muito à custa do prestígio granjeado pelos dois emblemas ao longo dos anos, e mais do que isso, pela forte rivalidade competitiva que sempre existiu entre ambas. De resto, estamos a falar de um emparceiramento que mexe com todos, em qualquer circunstância.

Adeptos das duas equipas estão ansiosos, sobretudo, porque se trata do primeiro jogo da época, em que vão ser avaliados os nível destas, e daí reunir um juízo de valor exacto sobre aquilo que podem esperar ao longo das competições calendarizadas, em que vão estar não só na Taça de Angola e no Girabola, mas também nas competições africanas de clubes.

Depois de um jejum, deixando o monopólio a outras formações, os militares arrebataram a última edição do campeonato nacional da primeira divisão, e aparecem na condição de campeões nacionais, uma particularidade que dá outro gozo e outro estatuto, embora, a turma do Cuanza Sul seja também ela detentora de grande maturidade competitiva, e capaz de pôr à prova a sua grandeza.

Claro está, que a vitória na Supertaça não tem a mesma expressão da vitória na Taça de Angola, ou no Girabola, mas não deixa de ser importante. Aliás, começar a época com vitória representa um sinal muito positivo. Pois, pode ser um incentivo aos atletas e à equipa técnica, para o resto dos compromissos. Daí, que interessa às duas equipas.

Entretanto, seja qual fôr o resultado, ou seja quem levante o troféu, o que se pretende é que tenhamos uma época sem muitos sobressaltos, em que as duas competições (Taça de Angola e Girabola) sejam disputados no quadro de um apurado espírito de "fair - play". É certo ,que com a galopante crise económica há sempre um senão. Mas que não seja de dimensão preocupante.

De volta ao jogo, vamos esperar que 1º de Agosto e o Libolo alegrem a sua massa de adeptos, com um futebol que justifique o estatuto que ostentam , em que são vencedor do campeonato nacional e da Taça de Angola, respectivamente.

Últimas Opinies

  • 22 de Agosto, 2019

    O divrcio anunciado

    Não faz ainda muito tempo do anúncio do divórcio, entre o órgão reitor do futebol nacional e o então seleccionador nacional de honras, o sérvio Srdjan Vasiljevic, que ontem deixou o país.

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Corrigir o mal no futebol (I)

    A semana passada terminei o artigo com a seguinte sentença: “(…) é importante mudar de estratégia

    Ler mais »

  • 22 de Agosto, 2019

    Mais um falso arranque do Interclube

    Para o desalento dos prosélitos do futebol sénior masculino, as cortinas do Girabola Zap, versão 2019/20, foram descerradas com máculas na jornada inaugural que, mais uma vez, põem em causa a capacidade organizativa da Federação Angolana de Futebol (FAF), que parece apostada numa competição em que é premiada a instituição que mais erros comete ao longo do “consulado”.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    O pas dos amigalhaos

    Foi recentemente anunciada a rescisão contratual do treinador Srdjan Vasilevic com a Federação Angolana de Futebol.

    Ler mais »

  • 19 de Agosto, 2019

    Como causar impacto atravs do marketing?

    De facto, para que se crie um impacto forte e eficaz através do marketing desportivo, é indispensável que os clubes e federações deem atenção ao formato comunicativo a ser utilizado.

    Ler mais »

Ver todas »