Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa

Opinio

Jogo de consolao

12 de Julho, 2014
A contragosto o Brasil joga hoje para o terceiro lugar do campeonato do mundo de futebol, defrontando às 20h00 a Holanda no estádio Mané Garrincha, em Brasília. Será um jogo de menor importância, e quer uma quer outra das duas formações intervenientes não esperavam disputar esta posição, em face daquilo que eram os seus objectivos.

Assim, o campeonato do mundo de futebol, vivido com redobrada expectativa desde o passado dia 12 de Junho, começa a despedir-se. Pois, quando a bola começar a rolar logo à noite, está a ser disputada a 63.ª e penúltima partida do torneio. Para trás ficaram já muitas outras selecções, algumas delas com um desempenho excepcional na prova.

Passa para a História um campeonato que teve de tudo, do ruim ao prazenteiro, em que os jogadores fizeram das suas e os árbitro, alguns, também não quiseram ficar atrás. Seja como for, deixa sempre saudade para aqueles que o puderam vivenciar, embora para o próprio brasileiro há-de ser, por razões óbvias, de triste memória.

Infelizmente quis o destino que o Brasil voltasse a fracassar em sua própria casa. Será uma sina? Vá-se lá saber. Mas a verdade é que depois do "holocausto" de 12 de Julho de 1950 no Maracanã, em que a selecção anfitriã teve a desdita de fracassar aos pés do Uruguai, o país não voltou a organizar o certame.

Entretanto, mesmo disputando campeonatos na condição de forasteiro, o Brasil logrou conquistar até à presente data o maior número de títulos, que qualquer outra selecção, particularidade que lhe confere o estatuto de país do futebol. Mas, decididamente, parece estar escrito que jamais este Brasil há-de comemorar um troféu diante do seu público.

Só assim se pode explicar que nesta organização, que ocorre 64 anos depois da primeira desfeita, as coisas tenham corrido da mesma forma, ou pior ainda. Porque na vez anterior o Brasil pelo menos chegou à final, e se perdeu foi por 2-1, resultado aceitável no futebol. Mas desta vez ficou nas meias-finais. E o resultado é histórico.

Em todo o caso, pensamos que não deve o Brasil cair em desânimo e desvalorizar o jogo de hoje. Afinal ficar em terceiro lugar não é o mesmo que ficar em quarto. Daí a necessidade de se empregar a fundo, de modo a obter um resultado que ao menos sirva de consolo a um público ávido que, de certeza, não esperava por outro desfecho da prova que não fosse o título.

Aliás, na situação do Brasil também se acha o seu adversário. A Holanda já disputou três finais e não tem nenhum título no seu palmarès. Temos a certeza de que esperava que esta fosse a sua vez. Mas as coisas também não correram de feição. No desporto as coisas são assim. O importante é continuar o trabalho que desenvolvem e acreditar no futuro.

Últimas Opinies

  • 21 de Março, 2019

    Um regresso depois de quase dez anos

    Volvidos quase dez anos, volto a assumir uma missão como enviado especial do Jornal dos Desportos, título para o qual escrevo desde o ano de 1997, e que nesse momento assumo o cargo de editor, depois de já ter sido sub-editor e correspondente provincial.

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    A eliminao do Petro e o tal patriotismo

    Terminada a participação Petro de Luanda, na Taça Nelson Mandela, é normal que por esta altura, esteja a ser feita uma profunda reflexão em torno da participação na referida competição africana, nos mais diversos aspectos que ela comporta, sem descorar, portanto, a (des) continuidade do técnico Beto Bianchi, que mais uma vez não conseguiu o troféu de uma competição em que esteve envolvido. 

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Palancas Negras de olhos no Egipto

    A Selecção Nacional de futebol honras, vulgo Palancas Negras, só depende de si para chegar à fase final do Campeonato Africano das Nações (CAN) de 2019, que vai ser disputado no Egipto.

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Cartas dos Leitores

    Procuramos fazer tudo para vencer o jogo, mas não conseguimos, porque o adversário  (Recreativo do Libolo) foi competente e inteligente, assim como conseguiu aproveitar as nossas falhas defensivas e, em lances de bolas paradas, marcaram os dois golos.

    Ler mais »

  • 21 de Março, 2019

    Zebras para domar...

    A Selecção Nacional de futebol de honras, às ordens do sérvio Srdjan Vasiljevic, decide amanhã, em Franciston, Botswana, a qualificação para o Campeonato Africano das Nações (CAN), que o Egipto acolhe de 19 de Junho a 21 de Julho deste ano.

    Ler mais »

Ver todas »